Em um relacionamento sério comigo mesma

Mês de Junho, mês dos namorados, todo mundo em um relacionamento sério, no só love e eu aqui sozinha.

HAHA, sozinha, não: solteira!!!!

Fonte: Pinterest

Bons anos atrás eu era uma tristeza só: todo mundo namorando, feliz e apaixonado, fazendo cartinhas e dedicatória para os amores e eu ficava olhando. Tive amores mal amados, paixões não correspondidas, coração partido e relacionamento que insisti mas não foi pra frente, não tinha jeito, o que não é para ser não vai ser e ponto final.

Muitos me perguntavam: vocês está procurando? Minha vontade era de gritar: SIIIIM, mas não acho. O que mais me doía. Quem já leu a saga Crepúsculo? Lembram de um capítulo que o Jacob ficava andando pelas ruas em busca de um imprint? Era desse jeito que eu era. Onde ia olhava para todos os lados procurando um namorado. Todos os garotos que via pensava se um deles seria minha alma gêmea.

Resultado? continuei solteira rs!! Chorava e me sentia o pior ser humano do mundo. Ficava me perguntando o que tinha de errado em mim que ninguém me queria.

Mas uma coisa eu não percebia: quanto mais eu procurava, mais eu conversava, mais conhecia gente e, por incrível que pareça, menos amigos eu fazia. Deixava um monte de coisas para trás porque achava que podia estar perdendo alguma oportunidade.

Tudo mudou quando comecei a viajar com as amigas, a sair, malhar e resolver escrever meu livro. Comecei a trabalhar e conheci MUITA gente. Muitas histórias de amores verdadeiramente mal amados, não apenas  de corações partidos como vidas partidas, dívidas, noites mal dormidas e uma série de problemas. Relacionamentos sérios só no papel.

Os casais só love começaram a diminuir ao meu redor e os casais só fight apareceram. Ouvi muita gente dizer que eu devia ser feliz e aproveitar de verdade minha vida. Ouvi histórias absurdamente tristes de mulheres que sofreram horrores com seus maridos, que tiveram a autoestima no chão e ficou bem claro pra mim que contos de fadas não existiam. Ainda conheço muuuuitos casais felizes e sou feliz junto com eles.

Mais tarde conheci outras solteiras e percebi que isso é a coisa mais natural do mundo. Devagar fui deixando de procurar um namorado, fui seguindo minha rotina, conhecendo um bando de gente nova, fazendo grandes amizades, muitas viagens e deixando minha autoestima crescer gigantescamente, o que faz minha mãe às vezes me chamar de narcisista HAHA!!!

Sou independente, faço minhas escolhas, tenho uma rotina que amo, compro o que gosto, viajo quando posso (queria muito dizer quando quero), tenho uma coleção de amigos maravilhosos, uma família linda, uma cachorra perfeita e não, não sinto falta de um namorado. Minha felicidade é interna e não depende de ninguém. Há pessoas que casam e outras que não, isso faz parte da vida.

Estou vivendo meu sonho de ser escritora, isso me satisfaz e me faz ser inteira, completa. Minha paixão é estar no meio das pessoas, poder desbravar o mundo. E é isso que estou vivendo. Publiquei meu primeiro livro <3

Se por acaso aparecer um rapaz que valha a pena e que eu ame e seja correspondida e, claro, aceite e acompanhe minha carreira, que ótimo, será muito bem vindo. Se não, ótimo, sou completa. Sou feliz. Estou em um relacionamento sério comigo mesma 🙂

Obrigada!

De nada!

12191717_10207450342518984_5470877887559865017_n

Facebook Comments

4 Replies to “Em um relacionamento sério comigo mesma”

  1. Te desejo sucesso nesse seu relacionamento com você mesma, sempre. Até quando aparecer, de fato, uma outra pessoa para fazer parte dessa história.
    Sou dessas que acredito que se a pessoa não sabe estar bem sozinha, também não ficará bem na companhia de outrem…

    Beijos!

    1. Nossa, verdade, é preciso estar bem consigo mesma para estar bem com o outro! Obrigada, seja muito feliz também, sozinha ou acompanhada 🙂

      Bjs

  2. Priscila, melhor coisa que você fez! Se libertar desse conceito que a gente não pode ser feliz sem ‘alma gêmea’ que a sociedade insiste em nos impor. A felicidade tem que vir de dentro. Você está super certa. Arrasou!

    1. Obrigada Roberta!! Essa liberdade veio junto com uma alegria enooooorme 🙂 Grande abraço

Deixe uma resposta