O Anjo da Morte – Pedro Bandeira

Olá! E hoje tem resenha, do livro Anjo da Morte, do maravilhoso Pedro Bandeira!!

Anjo da Morte Pedro Bandeira
Anjo da Morte – Pedro Bandeira

Como sempre Pedro Bandeira nos surpreende com as aventuras dos Karas:

Em Anjo da Morte, os meninos tentam solucionar o assassinato do Ator judeu Solomon Friedman, amigo e professor do Kara Calu. Durante a busca, eles deparam com nazistas e enfrentam um grande perigo. O final é surpreendente.

O livro faz uma viagem à era do nazismo, nos fazendo refletir sobre esta época tão sofrida para os judeus. Nos faz perceber como existe gente tão maldosa neste mundo, e se indignar com estas atitudes. Nos faz sentir vontade de gritar e lutar pela paz no mundo.

Mas em meio a tantas indignações, nos mostra a beleza da amizade, do trabalho em equipe, da dedicação e do amor ao próximo.

 

Anjo da Morte faz parte da série Os Karas, de Pedro Bandeira. Conheça mais aqui: Série os Karas – Blog Saraiva!

E, como em todos os livros da serie, Anjo da Mortenos faz lembrar da força que os jovens tem, da vontade de gritar por justiça, de protestar, de falar que não concorda. Característcas estas naturais dos jovens que, infelizmente está meio confusa.

Claro que não digo que todos tem que correr atras de assassinos, nazistas, loucos e colocar a vida em risco para desvendar um mistério, um assassinato, HAHA



inicio anjo da morte pedro bandeira
O que está escrito aqui? Bem, só lendo para descobrir MUAHAHA

Mas sim em não aceitar tudo o que lhe é dado, estudar mais, procurar saber a origem das coisas, reclamar (educadamente) o que não concorda, debater suas idéias, não usar produtos de marcas que destroem a natureza, que manipulam a mente… Ah!… Serem menos materialistas.

Fora que, em Anjo da Morte, Pedro Bandeira também nos mostra algumas curiosidades sobre o período nazista e sobre o teatro. Eu que já fiz curso na adolescência fiquei maravilhada em saber algumas coisinhas. Como, por exemplo, porque, antes de uma apresentação, os atores desejam m*rda uns para os outros.

Sinopse Anjo da Morte Pedro Bandeira

Enfim. Vale a pena ler o Anjo da Morte. Tenho a coleção toda, mas ainda espero oportunidade de ler todos.

E também aguardo o maravilhoso dia em que eles resolvam fazer um filme dos Karas.

 

E Pedro bandeira é UM FOFO né minha gente? Um vovôzinho muito simpático e moderno. Tive o prazer de conhecê-lo já em três bienais. Tenho até o registro no vlog: Vlog Bienal do livro RJ – 2017!

E você, já leu algum dos livros da série?

Beijo no coração!!!






Um apólogo – Machado de Assis

OlÁ Vamos conversar sobre o conto Um Apólogo, do célebre Machado de Assis?

Um apólogo, Machado de Assis, Editora DCL

Um Apólogo conta a história de uma linha e a agulha, em meio a uma costura de um vestido para uma festa importante. A linha, soberba, se achava, afinal de contas quem ia para a festa era ela. Enquanto a agulha só servia para abrir o caminho. No final (na parte boa), voltava para caixa e lá ficava, e não curtia os prazeres da vida.

Leia o texto completo aqui: Um apólogo

Alguma semelhança do conto com a vida? HEHE

Machado de Assis não foi quem foi a toa. Em um pequeno conto ele resumiu TANTA coisa. Afinal, quantas linhas e agulhas não vemos por aí?

 

Li Um Apólogo tanto na escola quanto na faculdade. Para quem não me conhece, sou Pedagoga. Analisamos esse texto para associar com a trajetória de um professor. Afinal, ele é a agulha, que abre caminhos para seus alunos (as linhas), que vão crescer (ou não) e ganhar o mundo.

Só que vale a pena lembrar que a linha só teve condições de estar no vestido porque um dia existiu a agulha, que a guiou pelo vestido todo. E assim somos nós, alunos e ex alunos: precisamos, não apenas de um professor, mas de pessoas que nos guiem e nos indicam o caminho da festa.



Machado de Assis, grande gênio da Literatura Brasileira

Quando reli Um Apólogo recentemente, fiquei pensando em quando podemos ser essa linha, que, quando conquistamos algo, nos esquecemos de quem nos ensinou, das pessoas que passaram por nossa vida e que dela fizeram parte.

E quantas vezes não somos agulhas? Ajudamos alguém, guiamos para conquistar um sonho e nós mesmos continuamos na caixinha?

Eu acho que sou um pouco de cada. Aliás, todos somos um pouco linha e agulha. Um ajuda o outro, ninguém cresce sozinho.

Imagem retirada do Google Imagens

A parte triste é que às vezes a gente parece se esquecer i fica tipo a linha: chata, arrogante, metida a besta. Nada a ver. O legal é ter gratidão!!

E por falar em gratidão, tenho um post beeem fofíneo aqui: Feliz dia da Gratidão!!!

Mas e você, já conhecia o conto Um Apólogo? Machado de Assis era ou não era perfeito? Aliás, É, porque ele é eterno.

E você tem sido linha ou agulha ultimamente? Legal pensar, né?

Beijo grande no coração!!!






As virtudes – Alphonsus de Guimaraens

OlÁ! Hoje é dia de poesia, e a escolhida do mês foi As virtudes, de Alphonsus de Guimaraens!!

As virtudes Alphonsus de Guimaraens

É um poema lindo demaaaaaais da conta. Do tipo que você fica sem palavras!!

Falar de Fé, de Esperança, ainda mais nos dias de hoje, em que tudo parece tão perdido é quase que necessário.

Acredito que, para ter fé, é preciso coragem. Acreditar que tudo vai mudar não é apenas ficar paradinho, sentado no sofá brincando no celular e deixou que tudo se resolva.

É preciso mudar, tomar atitudes, fazer alguma coisa. E nesse momento que nasce a caridade.

A fé é uma força incrível, ela remove montanhas, né? É com fé que a gente te garra para seguir frente, fazendo o bem para o próximo, com pequenas atitudes.




 

E vendo as pessoas todos os dias tomando atitudes bondosas nos dá uma esperança enoooorme de que o mundo irá mudar, irá ser um lugar mais bonito para morar.

Quer conhecer mais sobre o poeta? Só entrar aqui: Biografia de Alphonsus Guimarens!!

E o poema As virtudes foi encontrado na antologia Ouvindo Estrelas, organizado por José Mauro da Costa.

Antologia ouvindo estrelas

Aliás, um livro muuuito lindo, com poemas incríveis e comentários sobre cada um e seus respectivos autores. Vale a pena pegar para ler 😉

Agora, quem é que topo declamar o poema As virtudes aí mesmo, sentadinho em frente ao PC, ou com o celular na mão!!

É lindo demais declamar. Dá uma sensação boa, não dá?

Fonte: Pinterest

Gosta de poemas? Estou sempre trazendo uns bem lindíneos aqui: Alguém vai contar? Maria Dinorah – Espelho – Roseana Murray – Saber viver – Cora Coralina

E quem me segue lá no Instagram corre que tem uma surpresa. E quem não me segue, é só chegar: Carioca do Interior!!

Espero que tenham gostado e sentido uma coisinha gostosa com as virtudes.

Beijo grande no coração!!!

 

 

Fala Sério, Mãe! Livro x Filme

Oláá!! Quem já leu Fala Sério, Mãe! da minha diva Thalita Rebouças?? Livro de uma série engraçadíssima que nos acompanha por muito tempo 🙂

Fala Sério, mae

Dia 28/12 fomos agraciados pela estreia do filme do livro, de mesmo nome, todo acompanhado pela própria autora. E claaaaro que assisti, do ladinho da minha mamis!

Mas então, o que eu achei??

Bem, para quem já viu o meu vídeo 5 personagens preferidos da literatura (vídeo) | BEDA#5 sabe que a Malu é uma delas. Então éclaro que quando fui assistir Fala Sério, Mãe! fiquei bem ansiosa pela interpretação da Larissa Manoela e demais atrizes mirins que representaram a protagonista.

E, então: nos livros a Malu é beeem mais atentada. No filme, só vi mesmo essa espuletice na infância. Mas sabe que eu curti bastante? Acho que ficaria chata se ficasse representando uma garota levada e malcriada o tempo todo no cinema. E no livro ela tem um monte de namorados, no filme, apenas um.

E achei ótimo! Ficou mais limpo, menos bagunçado, menos história/coisas pra contar. Consegue explicar direito?? HAHA

fala serio, mae o filme
Assisti Fala Sério, mãe! E você?

Algumas partes, claro, foram retiradas, mas isso a gente já espera. Afinal, imagina colocar um livro inteiro em um filme? E a essência permaneceu. Achei que Fala Sério, Mãe! foi bem fiel, e fiquei MUITO feliz!

A propósito, tenho um vídeo falando sobre filmes de livro, clica pra conhecer os que menos gostei: Piores adaptações para o cinema (vídeo)!!

Aliás, por incrível que pareça, algumas pequenas mudanças foram feitas e fiquei bem legal. Deu uma surpresinha, do tipo: “ué, não era isso!” E você ri porque ficou meio que uma pegadinha. Coisas de Thalita Rebouças, aposto!

 

E, o comentário que não podia ficar de fora: a Ingrid Guimarães deu um SHOW de interpretação. Já era esperado, né, uma excelente atriz. E ela ainda conseguiu se superar em Fala Sério, Mãe! Parece que a Thalita fez o livro pensando nela!!

Como já deu pra perceber, eu AMEI assistir ao Fala Sério, Mãe! Ri horroores, mas ri muito mesmo, minha mãe também riu demais. E também chorei. Algumas coisas são comuns na família, rola aquela empatia com as personagens, a gente se encontra na história e fica com aquele sentimento de que não estamos sozinhas.

Mas você, já leu o livro? Já viu o filme?? Corre logo pois está perdendo <3

Beijo grande no coração!!!

Saber viver – Cora Coralina

Olá!! Então vamos terminar o ano com poesia! Com Cora Coralina, Saber viver <3

cora-coralina-1-l
Fonte: O Pensador

Saber Viver – Cora Coralina

Não sei… se a vida é curta
ou longa demais para nós,
mas, sei que nada
do que vivemos tem sentido,
se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
o colo que acolhe,
o braço que envolve,
a palavra que conforta,
o silêncio que respeita,
a alegria que contagia,
a lágrima que corre,
o olhar que acaricia,
o desejo que sacia,
o amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela não
seja nem curta, nem longa demais,
mas que seja intensa, verdadeira,
pura enquanto ela durar…

Leia mais: https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=108084 © Luso-Poemas

 

Enfim, acho que Saber Viver é um poema que dispensa comentários rs. Cora sendo sempre perfeita, emocionante, encantadora.

Aliás, tenho um post sobre ela, sobre um livro lindo aqui ó: A menina, o cofrinho e a vovó (Cora Coralina) BEDA#22

Desejo de coração que todos nós tenhamos uma vida maravilhosa, que saibamos aprender com os erros, vencer os obstáculos e encontrarmos a verdadeira felicidade: aquele que mora dentro de nós!

Um beijo grande no coração de cada um de vocês!!!

 


Mas vai chover – Clarice Lispector

Olá! E “Mas vai chover” é o conto escolhido para o mês de Novembro do Projeto Clarice-se!

Clarice Lispector

Mas vai chover é um conto simples, de fácil leitura e (obviamente, em se tratando de Clarice) profundo, com margem a N questionamentos.

“É a história de Dona Maria Angélica, uma senhora viúva que conhece um rapaz jovem, entregador, forte e bonito, e se encanta com ele. O convida para entrar e se envolve com ele.

O rapaz, porém, não se interessa por ela, mas sim pelo seu dinheiro.

Ao final, ela se vê sem condições de continuar mantendo-o e é abandonada.”

Aparentemente é uma daquelas historinhas clichês de filmes e novelas que vemos todos os dias. Mas Clarice não ia deixar só por isso rs.

Ela aprofunda nos pensamentos e sentimentos de Maria Angélica. Não era apenas uma mulher madura em busca de prazer. Ela se sentia sozinha, tinha necessidade de ser amada. Isso é até verificado quando começam a abrir seus olhos e ela diz: “Não, ele me ama”.

Todo o mês posto um conto de Clarice. Leia o último: A Criada

E mais, ele a fazia se sentir jovem. Por ser rica, imagino que tenha sido uma mulher com uma vida muito agitada quando jovem: teve muitos amores, vida social ativa e aventuras.

Às vezes tudo o que ela (e muitas pessoas maduras de um modo geral) queria era voltar a sua juventude.

Quando ela o convida para dormir com ela, e o rapaz recusa de início, ela já oferece a ele um carro. Pra mim essa parte ficou claro o desespero dela em se envolver com alguém e se sentir jovem novamente.

Bem, mas e o rapaz? Então, de início um grande pilantra, aproveitador e sem amor. Mas acredito que, dentro dele, também havia um desespero. Desespero material mesmo. Queria viver uma vida de luxo e, de repente, teve essa oportunidade. Custasse o que custasse.

Isso tudo me faz pensar: quantos de nós não nos entregamos a situações das quais não queremos por desespero de parecer outra coisa?

Mas vai chover me fez pensar sobre julgamentos: ninguém sabe o que se passa dentro do outro, o que o levou a tomar tal atitude. Sempre julgamos, apontamos o dedo, criticamos, mesmo quando não temos nada com isso.

 



 

 

E você, o que achou do conto? Não deixe de ler por inteiro: Mas vai chover.

Beijo grande no coração!

O chato – Martha Medeiros

Olá amores! O Chato, de Martha Medeiros foi a crônica escolhida do mês de Novembro. E, tipo, como não amar?

Fiquei mega interessada por ela desde que soube de sua existência enquanto estudava Leitura em Língua Portuguesa na faculdade.

O Chato conta a história de uma mãe que conversa a respeito de seu filho, que AMA livros, mas nem por isso é chato. Ele sai, tem amigos, é engraçado e gosta de conversar.

E com isso, Martha Medeiros faz a maravilhosa reflexão, que era o tema da matéria: por que cargas d’água o povo adora rotular as pessoas que gostam de ler de chatas?

No colégio sempre tem o nerd, que é o estudioso, que tira boas notas, mas que tem o rótulo de ser o quietão, antissocial, o chato. Ou a chata.

E na adolescência ainda tem aquela fama básica: que não pega ninguém.

Por falar nisso, leia também: Hábitos de leitura (vídeo no canal!!)

Mas, me digam: quem disse isso? Por que quem gosta de ler tem que ser chata e quem não gosta é popular? Falo da adolescência, mas até quando chega na idade adulta continua esse rótulo.

Quem disse que é chato? Dá reunir com a BFF e ler juntas <3

Nós aqui, que gostamos de ler, sabemos muito bem disso. Somos legais, temos vida social e, sinceramente, a leitura ajuda taaanto a se socializar.

Quem aqui não fez amizades por conta de livros? Sentou pra bater aqueeele papo com um amigo (ou amiga) sobre o livro que leu, trocou nomes, indicou e, melhor ainda, conheceu gente nova na internet.

A leitura nos torna mais sociáveis, amplia nosso vocabulário e nos dá até mais assunto pra conversar. Todo mundo pode ler, sair, conversar, viajar, namorar… ser feliz! Dá tempo para tudo.

Ou até mesmo partir para uma leitura coletiva 😉

E, no mais, se a pessoa em questão preferir ficar no sofá, de pantufa, lendo um livro até altas horas, qual é o problema? Não precisa ser o chato da história, cada um faz o que ama, não está prejudicando ninguém, né?

Alguns livros são emocionantes também, né? Saiba quais carrego no coração aqui: 7 livros que tocaram meu coração | BEDA#24

Como disse a própria Martha Medeiros, gente chata é aquela que fica falando o tempo todo, se acha a melhor, fica tomando conta da vida dos outros. Essa coisa de rótulos, de esteriótipos é tão batida, não é?

Martha Medeiros

Aaaaah, como termina muito bem a crônica:

Chato é quem não nos faz rir.

Mas e você, o que achou da crônica O Chato? Concorda com a Martha Medeiros?

Encontrei a crônica nesse link: Crônicas de Martha Medeiros



Vamos compartilhar mais livros pelo mundo, quem sabe assim ele se torna menos chato? Hehe

Beijo grande no coração

Alguém vai contar? Maria Dinorah

Olá! “Alguém vai contar?”, de Maria Dinorah, é a poesia escolhida desse mês.

alguem vai contar
Encontrei por aí a imagem. Caso saiba o dono doa direitos, conta pra mim, viu?

 

Absurdamente fofa, faz você imaginar tudo, os lugares, o calor do sol, a profundidade do silêncio.

Afinal, quem sabe o que acontece por trás do silêncio? Pode significar tanta coisa!

Quando leio esse poema me imagino em um lugar distante, calmo e sereno. Onde nada é ouvido, onde finalmente posso ouvir o vento, o cantar dos pássaros e aquela vozinha dentro de mim.

Alguem vai contar Maria Dinorah
Alguem vai contar? Maria Dinorah

Alguém vai contar fala de silêncio de calma e sua própria estrutura já traz paz.

Maria Dinorah, com toda sua delicadeza, nos faz parar um pouco, ainda que no meio de tanta agitação, para respirar, sentir um ar sereno e de tranquilidade.

Parece até uma meditação!

O que acontece por trás do silêncio eu sinceramente não sei, só sei que amo esses momentos de paz e gosto de curtir cada segundo.

Alguém vai contar? faz parte do livro de poesias Coração de Papel, de maria Dinorah. Foi publicado em 1991, pela Editora Moderna e faz parte da Coleção Girassol. Quem lembra dos livros dessa coleção?

São poemas lindos e fofíneos. Vale super a pena conhecer.

Coraçao de papel - Maria Dinorah
Idosinho e ainda cheio de encantos

E por falar em conhecer, não deixe de ler mais sobre a autora, suas obras e encantos: Maria Dinorah – Wikipedia.

Autora Maria Dinorah

E quanto a você, o que achou do poema? Também gosta de momentos de paz?

Deixe pra mim nos comentários o que sentiu quando leu a poesia.




 

Uma semana abençoada.

Beijo grande no coração!

Cecilia Meireles – coleção crianças famosas

Olá! Quem aí gosta da Cecilia Meireles?

cecilia meireles
Meus livros da Cecília Meireles

Acho que já mencionei nesse post aqui Leilão de Jardim – Cecília Meireles, que ela é minha poeta e escritora nacional preferida rs e hoje é dia de contar um pouco de sua história.

Antes de qualquer coisa, quero contar sobre essa coleção tão linda: Crianças Famosas. Elaborado pela Callis Editora, escrito por Carla Caruso e ilustrado por Angelo Bonito,  conta uma delicada histórias onde os protagonistas são grandes autores e artistas quando crianças.

De linguagem simples e envolve temos a oportunidade de conhecer melhor esses nomes tão importantes da nossa cultura, não apenas para as crianças, mas para nós também, que podemos conhecer melhor esses artistas.

E Cecilia Meireles foi a escolhida para iniciar esse projeto. Sim, vou aparecer algumas vezes mostrando alguns outros livros.

Fonte: Chão de Areia

Cecilia Meireles foi uma menina órfã de pai e mãe. Morava com a avó e não podia brincar na rua com os colegas. Ficava em casa sozinha vendo a avó costurar, imaginando desenhos no assoalho da casa e ouvindo histórias que sua babá, Dona Pedrina, contava.

Era linda, com cachinhos dourados, olhinhos de gato e bem curiosa.

Gostava de imaginar de onde vinham as coisas, ouvir atenciosamente o barulho de tudo. Na idade em que se passa a história, Cecília Meireles ainda não sabia ler. Mas amava os livros. Ficavam folheando e “imaginava que dentro dos livros saía uma voz que ia contando histórias.”

Quando entrou na escola, aprendeu a escrever muito rápido, recebeu medalha de ouro e conheceu outras crianças.

Publicou seu primeiro livro com 18 anos,  Espectros. E assim surgiu a grande, ilustre e tão conhecida escritora que todos amamos, nem que seja lá no fundinho.

Não é atoa que ela se tornou tão famosa né? De uma sensibilidade única, escreveu cada poema lindo que tanto nos encanta.

Quem gostou de conhecer mais um pouquinho da vida de Cecilia Meireles? Foi de se apaixonar né?

Aliás, para quem quiser conhecer um pouco mais dela, só clicar aqui: Wikipédia

Deixe aqui nos comentários o que acharam e quem gostariam de ver aqui no post!



Beijo grande no coração

Espelho – Roseana Murray

Olá! Quem conhece o poema Espelho – Roseana Murray?

Alice através do espelho – Elena Kallis. Créditos na imagem.

Tive o prazer em conhecer essa autora uns 13 anos atrás (nossa, to velha), lembro que minha mãe trabalha com Sala de Leitura e o projeto da escola foi sobre ela. Com muita alegria, Roseana aceitou o convite e veio participar do evento aqui na cidade, e fui presenteada com esse livro maravilhoso:

espelho - Roseana Murray poema

Autografado e cheio de carinho, me encantei por seus poemas, um mais suave que outro. Nessa época estava começando a me apaixonar por poesias, e o livro foi mais que um presente.

nunca soube qual foi meu preferido, mas Espelho me chamou a atenção para o momento em que vivia naquela época. Estava fazendo vestibular, decidindo meu futuro, super confusa ainda, sem saber quem eu era.

“Espelho, espelho meu: diga a verdade, quem sou eu?”

É engraçado reler agora, numa fase em que estou novamente me fazendo essa pergunta.

espelho - Roseana Murray
Espelho – Roseana Murray

Acredito que passamos a nossa vida toda nos questionando quem somos nós. E isso não ruim. Isso é mágico, é lindo, é importantíssimo.

Mudamos de opinião o tempo todo, crescemos, passamos por experiências incríveis, por piores que possam parecer. E com elas mudamos, aprendemos e nos tornamos outro alguém.

Daí vem o conflito todo novamente. É um ciclo.

Ah, todo mês escolho uma poesia para o blog. Veja a do mês passado: Leilão de Jardim!

Fiquei bem feliz por poder recordar o poema Espelho – Roseana Murray. Assim que me sentia com 17 anos. Assim que me sinto com 30.

“se quero mudar o mundo,
se quero mudar o rosto,
(…)
ou então amanheço
com vontade de voar…”

Assim eu sou, assim nós somos.

Alguém também sente assim? Nesse conflito, com perguntas e vontade de se conhecer? Se sim, ótimo! Se não, tire um tempo para você, medite, vai ver como é incrível.

Quer conhecer mais sobre a poeta? Só ver aqui em: Roseana Murray

Quem gostou de ler Espelho – Roseana Murray?

Conte pra mim o que achou.

Beijo grande no coração!!!