Crônica do mês: Vitor e seu irmão (Veríssimo)

Vitor e seu irmão é a crônica escolhida para o mês de Junho. Mas não foi ao acaso, e sim devido a um comentário da amiga Grazy, do blog Parolar

livros 141

Então, amigos, a Grazy lembrou dessa crônica, Vitor e seu irmão, com tanto carinho, pois gosta muito dela, e me fez pegar o livro O Santinho, de Luiz Fernando Veríssimo, e reler. Mil risadas saíram de mim.

A narrativa se passa na sala de aula, com a professora explicando sobre a população no Brasil, e Vitor, um menininho esperto, questiona que deveria ter mais um número na estatística, pois seu irmãozinho acabava de nascer.

Se não bastasse somente o nascimento de seu irmão, ele questiona que outras crianças haviam nascido no hospital aquele dia, e pede para a professora aumentar mais uns 10, para garantir.

Ela explica que os números estatísticos não são exatos e a crônica termina com muitas risadas mencionando Alice, amiguinha de Vitor, com seus comentários insanos na sala.

Por que a crônica me fez rir tanto? Pois é nada mais do que a realidade de uma sala de aula. Só quem já passou por uma que sabe. As crianças questionam tudo, querem saber os porquês, e nem sempre se satisfazem com nossas respostas.

Sim, são muito mais espertas do que a gente imagina, talvez até mais espertas que a gente. E dá para nos arrancar boas gargalhadas e viver cheio de histórias para contar.

Fonte: Pinterest

Quem aqui convive com crianças, tem filhos, sobrinhos, primos, etc. sabe do que estou falando. A gente se diverte ou não com esses questionamentos?

E me faz refletir como que precisamos aprender com elas, a falar mais o que queremos, a perguntar, a não ter vergonha e nem medo de questionar, de parecer ridículos, pagar mico ou ser julgado.

Vida a inocência das crianças

Quem já conhecia essa crônica? E o livro O Santinho?

Gostaram de conhecer Vitor e seu irmão? Um agradecimento a Grazy Bernadino!

E um VIVA ao mestre Luiz Fernando Veríssimo!

Beijo grande no coração flooores

Crônica do mês: Segurança – Luís Fernando Veríssimo

E assim inaugura-se mais um projeto do blog: Crônica do mês! Sim, todo mês uma crônica será selecionada aleatoriamente e comentada aqui. E iniciaremos com o livro do gênero mais legal que exite: Comédias para se ler na escola! Abri (como irei fazer todo mês) ao acaso e a que saiu para nós: Segurança.

cronica verissimo 005

Como sempre Veríssimo nos promete boas risadas, e assim dei. A crônica retrata um condomínio aparentemente de luxo onde o que os moradores mais exigiam era a segurança. A cada investida para deixá-los seguros em suas casas, a frustração: “mas os assaltos continuavam.” Assim descrevia nosso querida escritor e eu caía na gargalhada.

Mas depois de tanto rir ficou a pequena-grande reflexão (aliás creio que uma crônica existe para isso): até quando vamos aumentar nossa segurança, se isolar do mundo de todos? Vamos deixando de viver aos poucos, com medo de tudo o que possa acontecer, vamos nos escondendo em casa, sem aproveitar e fazer o que queremos e precisamos de verdade.

De uma forma divertida e descontraída, e em poucas palavras, Veríssimo nos fez pensar em tantas coisas… Pensar em como anda a violência em nosso mundo, como lidar com ela. Como vivemos a mercê do outro.

E mais ainda, pensar no sentido figurado da crônica. Os assaltos, as casas, a segurança diz respeito também aos nossos sentimentos, a nós mesmos, a forma como nos trancamos dentro de nós com medo do que vão pensar, dos insultos, de tentarem cancelar nossos sonhos…

E depois de presos (tanto dentro de casa como dentro de nós mesmos) gritamos por liberdade. Planejamos fuga, enganamos a dor, mentimos para o mundo, pulamos a janela, para ver até onde vamos conseguir chegar.

cronica verissimo 004

Obrigada pela bela crônica, Veríssimo.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês.

E ah, o que acharam desse projeto? Vamos trocar figurinhas.