Leilão de Jardim – Cecília Meireles

Olá! Leilão de Jardim, de Cecília Meirelles, foi a poesia escolhida para o mês de Setembro!

leilao de jardim botanico rj
Foto minha, no Jardim Botânico RJ

O motivo é mais que óbvio, ne? Setembro é mês das flores, da Primavera, cheio de belezas e poesia.

Por falar em flores, quem já viu meu último post fotográfico? Clica aqui para ver as fotos de Setembro: Flores! Projeto Fotográfico Setembro!!

Eu realmente consigo sentir a beleza da Primavera no poema. A cada detalhe, uma imaginação. Bichinhos de jardim por toda a parte, sol gostoso brilhando lá em cima e dá até para ver as cores.

Amo muito flores e a Primavera. Quem me acompanha no Instagram já deve ter percebido, de tanta foto florida que tem por lá rs. Se ainda não me segue, só dar uma clicadinha aqui: @cariocadointerior <3

Declamar esse poema é sentir a alegria, a beleza da vida na natureza, em sua forma mais simples e sublime. Do tipo que você não precisa de mais nada para ser feliz. E tem que declamar bem alto, com um sorrisão nos lábios, espalhando alegria para todos os lados.

Olha ele aqui:


Leilão de Jardim

Quem me compra um jardim com flores?
borboletas de muitas cores,
lavadeiras e passarinhos,
ovos verdes e azuis
nos ninhos?

Quem me compra este caracol?
Quem me compra um raio de sol?
Um lagarto entre o muro e a hera,
uma estátua da Primavera?

Quem me compra este formigueiro?
E este sapo, que é jardineiro?
E a cigarra e a sua canção?
E o grilinho dentro do chão?

(Este é meu leilão!)

Cecília Meireles

Leilão de Jardim é um poema delicado, divertido e envolvente. Sua musicalidade transmite alegria, paz e vida.

Aaah! E não é para ler apenas, é para declamar, em voz alta, deixa pensarem que é loucura, todo mundo tem a sua rs

Quem já conhecia? Gostaram? Espero que sim.

Cecília Meireles é minha poeta preferida, grande honra poder fazer um post em homenagem a ela.

Fonte: Poemas, poesias e versos

Beijo grande no coração.

E viva a Primavera!!

 

 

A menina, o cofrinho e a vovó (Cora Coralina) BEDA#22

Olá! A menina, o cofrinho e a vovó é um livro infantil escrito por Cora Coralina. Mas antes da resenha, deixa eu contar uma história:

Fonte: Varejão do Estudante

Fui convidada, na semana passada para conhecer uma escola fofa em um bairro aqui na minha cidade. A professora estava trabalhando Cora Coralina e as crianças ficaram encantadas e com desejo de conhecer um escritor “de verdade”. Pois bem, a professora convidou uma escritora daqui para visitar a exposição de trabalhos das crianças, mas, como ela não poderia ir, passou meus contatos e eu fui.

O que falar desse dia? Foi fantástico.

E assim, além de falar sobre meu trabalho, contei para elas a história A menina, o cofrinho e a vovó. Utilizei fantoches e elas amaram!!

A menina, o cofrinho e a vovó 010
Contação de histórias: A menina, o cofrinho e a vovó

Enfim, A menina, o cofrinho e a vovó conta a história de uma senhorinha que ficava de boas em casa. Um dia, cansada de tudo, resolveu fazer doces para vender. E todo mundo comprava. A coisa foi crescendo, ela foi investindo até perceber que precisava de uma geladeira. Mas ainda não tinha dinheiro suficiente. Sua netinha, ainda criança, emprestou para ela. E, bem… o final não vou contar rs Só adianto que é emocionante.

Belíssima história, que nos faz pensar no valor de uma família. Mas, principalmente que nunca é tarde. Mesmo depois de “velhos” podemos continuar investindo, sonhando e correndo atrás de nossos sonhos. Olha só a vovó, né?

Não há idade para sonhar. Para viver a vida que a gente quer.

E o dia terminou com muito carinho de criança. Curiosidades sobre ser escritora, perguntas inocentes (até se eu conhecia Cora Coralina me perguntaram!!) e muita alegria.

20800134_1852411768108449_5138407423604711252_n.jpg
Mamãe, Professora, Eu, Vice-prefeita e Diretora <3

Só posso parabenizar a professora Eliazar, que fez esse trabalho maravilhoso com seus alunos, despertando neles o amor pelos livros e o carinho pela grande Cora Coralina.

Gente, cada trabalho lindo que eles fizeram <3

Linda a oportunidade de estar lá com eles todos. Não deu vontade de ir embora, foi uma experiência para vida toda.

Alguém já conhecia A menina, o cofrinho e a vovó? Gostam e Cora Coralina?

Beijo no coração!

bCjaQgE20525499_10203527614667196_580634045942943932_nbeda

360 dias de Sucesso – Thalita Rebouças BEDA#12

Olá! 360 dias de Sucesso, da fofa da Thalita Rebouças foi o último livro que li <3

360 dias de sucesso 051
Nem preciso dizer que a parte gráfica do livro é linda!

360 dias de Sucesso conta a história, como se fosse uma biografia, de um grupo de adolescentes que junta para formar uma banda de rock. No início, era para ser só uma brincadeira, uma banda para passar o tempo, tocar com os amigos, mas a coisa foi ficando séria e explodiram na internet e no Rio de Janeiro.

Achei o início bem interessante, pois é narrada pelo Gualter, o bateirista da banda, e vai contando o passo a passo de como tudo começou, a vida, a família e o íntimo de cada membro, diálogos em suas casas, como cada um vivia e o que faziam antes. Desde já foi possível traçar o perfil de cada personagem e imaginar como seria o desenrolar da história.

É 360 dias de sucesso justamente porque dura apenas um ano a banda (rs). Isso não é spoiler, calma, está escrito na própria sinopse.

É bem rica em detalhes, principalmente no quesito psicológico de cada personagem. Interessante pensar, por exemplo, no Theo, o vocalista. De família rica, mimado e todas as reações que ele tem ao longo da trama. E comparar com a tecladista Mari, que tem uma história de vida completamente diferente.

Adorei ver a empolgação de Paulão, pai do Pedro, guitarrista da banda, com os meninos, que sem querer (ou talvez por querer) virou o empresário. A forma como as coisas vão se desenrolando. Uma história fictícia que parece real, tão bem narrada. Era como se ele estivesse conversando com a gente, falando daquela banda que todo mundo conhece e adora.

A história relata os momentos de glória da banda, mas também as tretas, o que levou ao fim e por várias vezes me fez refletir. Gosto muito de música, desde novinha tinha meus ídolos, gostava de ler revistas, colecionar fotografias e colava pôsteres na porta do guarda roupa.

Já até mencionei isso em alguns posts como Dia do rock com playlist, bebêTrilha sonora da minha vida e Dia de rock, bebê!!.

 

360 dias de sucesso 054

O fato é que às vezes a gente nunca pára pra pensar como é por trás da coxia. Como cada um vive, como eram de verdade antes da fama. Claro que a mídia adora uma fofoca, fala dos bastidores, do antes da fama, dos segredos e muitos blablablas. Mas… será mesmo que é só isso?

Fico pensando dos diversos artistas que cometeram suicídio, seja direto ou indiretamente (entende-se inderetamente aqueles que faleceram por conta de drogas, abuso de remédios, álcool e etcs umas vez que foram acabando com a vida devagar). O que se passava com eles que os levaram a isso?

 

360 dias de sucesso é um livro maravilhoso, e, por mais que nos leve a reflexões bem sérias e role muitas tretas, não perde o bom humor de Thalita Rebouças. Dei muitas gargalhadas ao longo de toda a história, me encantei com cada detalhe, quis abraçar o Pá, o baixista da banda, e fiquei absolutamente encantada com o Gualter. E a dor no peito que ia me dando no final 🙁

E, claro, com vontade cantar Amor na Hora Certa, mas isso é assunto para outro post!

Indico para todos, de todas as idades, é grande mas você lê em um piscar de olhos, pois é uma leitura gostosa e envolvente.

360 dias de sucesso 056

Quem já leu e quer trocar comentários? Fiquei me coçando para falar mais, mas não quero dar spoiler.

Beijo no coração!

bCjaQgE20525499_10203527614667196_580634045942943932_nbeda

 

Crônica do mês: O verdadeiro assassino

Olá! O Verdadeiro assassino, de Paula Pimenta,retirada do livro “Apaixonada por Palavras”, foi a crônica escolhida, ao acaso, para o mês de Julho.

Paulinha inicia a narrativa com noticiários a respeito de cachorros que mataram uma criança e outro cachorrinho. Isso a faz relembrar de sua infância, quando ganhou um cachorro dito feroz, porém era um doce.

Bem, aí realmente fica a pergunta: “Quem é o verdadeiro assassino”?

o verdadeiro assassino

Quantas vezes ouvimos histórias de animais que mataram alguém, que o cachorro tal é mau, é feroz, não pode ser domesticado?

Quem me conhece sabe o amor por cachorros. São animais tão doces, amigos, divertidos… como pode um ser tão puro ser tão cruel? Bem, a verdade, e Paula Pimenta colocou muito bem, o animal é um reflexo do dono. Eles se comportam de acordo como são criados.

Se você cria um bichinho com amor, carinho e cuidados, ele com certeza vai retribuir, com calma e alegria. Brincar com as visitas, pedir carinho ou talvez até ignorar. Quem sabe se achar o dono da casa, né?

Fonte: Pinterest

Agora, se você cria seu animalzinho com agressividade, preso na casinha, amarrado numa corrente, sem dar amor e cuidados necessários, não tente soltá-lo para ver o que acontece. A resposta vai ser negativa. Pode judiar inclusive de você.

Não por ser malvado, vingativo. Não, animais são puros por natureza, mas agem por instinto. Eles precisam gastar energia parada, como uma raiva contida e não sabe bem como lidar com isso. Atacam pessoas sem compreender, agem por defesa própria, não conhecem carinho, acreditam que seres humanos são seres cruéis e precisam desaparecer.

Bem, eles estão certos, sem generalizações, claro. Humanos são realmente cruéis. Agem por instinto, mesmo tendo condições de raciocinar. Não sabem cuidar de animais, mas insistem em mantê-los em sua casa. Aliás. muitas das vezes não sabem nem cuidar de seus semelhantes.

Sim, o verdadeiro assassino é o ser humano, é quem de fato cria o animal para agir cruelmente, como reflexo de sua crueldade.

Fonte: Pinterest

Acho que precisamos muito aprender com os animais.

Já dizia no livro Marley e Eu: “…dê o seu coração a ele e ele te dará o dele…”

Cachorros não são assassinos, são seres lindos, doces. O verdadeiro assassino é sim o próprio dono.

Paulinha, essa crônica mexeu com meu ponto fraco rs.

Adorei de verdade, ótima reflexão, com um toque a mais 😉

Beijo no coração!

Ps.: Todo mês seleciono uma crônica e resenho aqui. Quer conhecer as outras, só clicar aqui: Crônica do mês

5 livros mais lindos da minha estante

Olá! Hoje é dia de vídeo no canal! Dia de mostrar os 5 livros mais lindos que tenho na minha estante!

Tarefa difícil, não? Mas a verdade é que a gente sempre tem aqueles queridinhos, aqueles livros mais lindos que amamos ter na nossa estante, dando aquela caprichada e enfeitada nesse cantinho que, certamente, é nosso preferido em casa.

Separei os 5, e o mais engraçado foi receber de presente, depois do vídeo pronto, mais um livro lindo que talvez entraria na lista, mas farei um post especial para ele.

Mostrei o interior desses livros mais lindos, porém, no vídeo não ficou tão nítido 🙁 e vou deixar as fotinhas pra vocês verem e se deliciarem…

Os Goonies

Ahh, tenho um post falando sobre o filme, só conferir aqui: Filme preferido da infância

O diário da Princesa – Edição comemorativa de 15 anos

Tem post contando do dia que conheci a Meg Cabot aqui: Meu encontro com Meg Cabot e rolou até vídeo no canal, que aliás foram os primeiros conteúdos do blog.

Os Contos de Beedle, o Bardo

Confissões de uma garota exluída, mal-amada e (um pouco) dramática

Apaixonada por palavras

Ganhei de presente, só conferir nesse post aqui: Livros presente do papai

Agora, sem lenga lenga, ele: o vídeo!

Gostaram? Lindos, não?

Mas conta vocês, quais os livros mais lindos da sua estante? Quais queria ter?

Vamos trocar novidades literárias 🙂

Um beijo grande no coração de cada um…

<3

 

 

O Amor nos Tempos de #Likes

Olá! Li O Amor nos Tempos de #Likes em meio a provas e trabalhos e só posso dizer que AMEI.

o amor nos tempor de #likes

Uma leitura fácil, prazerosa e interessante, são três contos escritos por booktubers conhecidos, abordando como anda o amor nesse tempo em que a internet ganha força <3

Ganhei o livro do papai, confira o post dos presentes aqui: Livros presentes do papai 🙂

O amor em tempos de #likes  foi um convite da Editora Record aos booktubers, para que cada um escrevesse um conto baseado em um clássico da Literatura, a escolha deles.

Cada conto com sua característica, mas todos se passam em meio a descobertas amorosas em meio a internet. Vamos falar sobre cada um deles?

Próximo destino: Amor – Pam Gonçalves

Fonte: Google Imagens

Adooooro a Pam, aliás foi através do antigo blog dela, o Garota It, que comecei a descobrir a Literatura pela internet. Mas vamos falar do conto, né?

Narra a história de Liz, uma youtuber famosa que é viciada em trabalho e não pensa em ter relacionamentos. Bem, até encontrar no aeroporto (e embarcar no mesmo vôo) William, um rapaz também muito ocupado que, além de administrar a empresa de seus pais já falecidos, precisa cuidar de sua irmã doente. Um história linda, posso dizer até fofinha, com uma série de coincidências fofas, que me fez torcer o tempo todo pelo final feliz. Faz a gente pensar que, mesmo na correria do dia-a-dia, dá tempo para amar, e os prazeres da vida. Muito mais importante que ter coisas, é ter pessoas. Tem uma situação emocionante nesse conto, mas vou deixar para descobrirem assim que ler rs é um pouco tapa na cara misturado com fofuras (quantas vezes falei fofo?). Vale acrescentar que termina com gosto de quero mais. Quero continuação.

Clássico? Orgulho e Preconceito

(Re) começo – Bel Rodrigues

Fonte: Google Imagens

Passada a fofura do primeiro conto, uma história um pouco mais pesada. Conta a história de Madu, uma mocinha que ama ver vídeos no YouTube e acaba de sair de um relacionamento abusivo (Gente, ela só tinha 17 anos, tão nova, fiquei muito chocada! E mais ainda por saber como isso existe.) e, para comemorar seus 18 anos vai passar uns dias em Búzios. E, bem, conhece uma pessoa muito especial. O final é bem gostoso, romântico e dá uma sensação de alívio gigantesca, depois de Madu sofrer tanto finalmente vai poder seguir em frente.  Uma história recheada de reflexões, não apenas sobre relacionamento abusivo, mas também com questões psicológicas a respeito de Madu e sua vida. Fora que te faz torcer muito mais para que a protagonista se dê bem no final.

Clássico? Dom Casmurro

337 km – Hugo Francioni e Pedro Pereira

Fonte: Google Imagens

O melhor conto! Fechou com chave de ouro, cheio de fofuras, risadas e amorzinho <3 Conta a história de Ramon e Júlio, dois meninos que se conhecem pela internet e se apaixonam. As conversas dos dois são muito divertidas, fiquei com vontade de ser amiga deles, estar perto acompanhando tudo, dando conselhos, participar dessa história de amor. 337 km é a distância que os separam e tudo termina com aquela mensagem que nada é impossível quando a gente ama. Que a gente precisa tentar, perder esse medo tolo de correr atrás das coisas, mesmo sem saber se vai dar certo ou não. Até porque a gente só vai saber se deu certo depois que fizer. Aaaah, só lendo mesmo para saber, melhor, para sentir toda a emoção que esse conto dá. E olha que o problema para eles não é só a distância, não.

Clássico? Romeu e Julieta.

Mas, e aí? Quem já leu O Amor nos Tempos de #Likes ? Quem não, ficou com vontade?

Eu super recomendo, e, por serem contos, dá pra ler devagar, um por vez, se você tiver atolada de coisas como eu 😉

Um beijo grande no coração de cada um…

Crônica do mês: Vitor e seu irmão (Veríssimo)

Vitor e seu irmão é a crônica escolhida para o mês de Junho. Mas não foi ao acaso, e sim devido a um comentário da amiga Grazy, do blog Parolar

livros 141

Então, amigos, a Grazy lembrou dessa crônica, Vitor e seu irmão, com tanto carinho, pois gosta muito dela, e me fez pegar o livro O Santinho, de Luiz Fernando Veríssimo, e reler. Mil risadas saíram de mim.

A narrativa se passa na sala de aula, com a professora explicando sobre a população no Brasil, e Vitor, um menininho esperto, questiona que deveria ter mais um número na estatística, pois seu irmãozinho acabava de nascer.

Se não bastasse somente o nascimento de seu irmão, ele questiona que outras crianças haviam nascido no hospital aquele dia, e pede para a professora aumentar mais uns 10, para garantir.

Ela explica que os números estatísticos não são exatos e a crônica termina com muitas risadas mencionando Alice, amiguinha de Vitor, com seus comentários insanos na sala.

Por que a crônica me fez rir tanto? Pois é nada mais do que a realidade de uma sala de aula. Só quem já passou por uma que sabe. As crianças questionam tudo, querem saber os porquês, e nem sempre se satisfazem com nossas respostas.

Sim, são muito mais espertas do que a gente imagina, talvez até mais espertas que a gente. E dá para nos arrancar boas gargalhadas e viver cheio de histórias para contar.

Fonte: Pinterest

Quem aqui convive com crianças, tem filhos, sobrinhos, primos, etc. sabe do que estou falando. A gente se diverte ou não com esses questionamentos?

E me faz refletir como que precisamos aprender com elas, a falar mais o que queremos, a perguntar, a não ter vergonha e nem medo de questionar, de parecer ridículos, pagar mico ou ser julgado.

Vida a inocência das crianças

Quem já conhecia essa crônica? E o livro O Santinho?

Gostaram de conhecer Vitor e seu irmão? Um agradecimento a Grazy Bernadino!

E um VIVA ao mestre Luiz Fernando Veríssimo!

Beijo grande no coração flooores

Livros da autora Livia Brazil

Oláá amigos, quem já ouviu falar da autora Livia Brazil?

livia brazil 012

Nascida em 5 de Maio (hoje!! Coincidência? Não, é meu presente de aniversário para ela), é formada em Produção Cultural, mora na Cidade Maravilhosa. Atualmente divide seu tempo entre os livros, trabalho formal e sua marca de artesanato em cadernos, a LadyRat.

Publicou seu primeiro livro, Queria Tanto, em 2011 pela Editora Benvirá. A obra conta a história de Alice Maria, uma garota de 20 e poucos anos, apaixonadíssima por Gabriel, que retribui parcialmente essa loucura, afinal é gay. Durante a história, divertidíssima por sinal, Alice sabe que precisa esquecer e partir pra outra. Conta com seus amigos e vive aventuras e grandes descobertas. Um livro pequeno, divertido, com uma linguagem simples e cotidiana. Deu pra sentir raiva do Gabriel e vontade de dar aquele empurrão de amiga na Alice.

livia brazil 005

É baboseira esse negócio de namoro. Quem precisa disso? (…) Pena que não penso assim. Pena que não consigo parar de querer que o gracinha do Gabriel se decida de uma vez, pare de enrolação e fique logo comigo. Só comigo.

Em 2013, publicou seu segundo, Coisas não Ditas, também pela Editora Benvirá. Conta a história de Lucie, uma jovem-futura-atriz que vive um crush com Rafael, um personagem fofo e simpático, devo confessar.

livia brazil 007

Mas, mesmo com toda a fofura ela não consegue se decidir e namorar logo com ele. A verdade é que ela guarda um segredo, ão quer por nada que ele descubra, sente insegurança e medo do que pode acontecer consigo mesma. Uma história cheia de humor, descontraída e vai te dando aquela curiosidade de saber que segredo é esse. Sem contar que o livro é todo inspirado em músicas, e, logo no início do livro, encontra a playlist.

Em 2016, publicou pela Amazon seu terceiro livro: Nada sobre mim. Esse infelizmente eu ainda não tenho (não tenho ainda o hábito de ebooks).  Mas segue a sinopse:

nadasobre mim Livia Brazil

Manuela tem uma banda com seus 3 melhores amigos e trabalha em uma loja de discos. Seu chefe é apaixonado por ela e ela sabe disso, porém ela tem um relacionamento violento e abusivo com seu vizinho, que tenta manter em segredo.

Alguém com vontade de conhecer melhor o trabalho da fofa Livia Brazil? Só conferir nos links:

LadyRat – IG LadyRat – IG Livia Brazil – Nada sobre mim

1d85b35f0f5b64ac9f7c6dbf16271111

Livia, minha amiga: feliz aniversário! Que continue com esse brilho, seu talento e essa pessoa fofa que é! Mil beijos

Um beijo grande no coração de cada um de vocês! Boa leitura <3

 

 

 

Crônica do mês: Segurança – Luís Fernando Veríssimo

E assim inaugura-se mais um projeto do blog: Crônica do mês! Sim, todo mês uma crônica será selecionada aleatoriamente e comentada aqui. E iniciaremos com o livro do gênero mais legal que exite: Comédias para se ler na escola! Abri (como irei fazer todo mês) ao acaso e a que saiu para nós: Segurança.

cronica verissimo 005

Como sempre Veríssimo nos promete boas risadas, e assim dei. A crônica retrata um condomínio aparentemente de luxo onde o que os moradores mais exigiam era a segurança. A cada investida para deixá-los seguros em suas casas, a frustração: “mas os assaltos continuavam.” Assim descrevia nosso querida escritor e eu caía na gargalhada.

Mas depois de tanto rir ficou a pequena-grande reflexão (aliás creio que uma crônica existe para isso): até quando vamos aumentar nossa segurança, se isolar do mundo de todos? Vamos deixando de viver aos poucos, com medo de tudo o que possa acontecer, vamos nos escondendo em casa, sem aproveitar e fazer o que queremos e precisamos de verdade.

De uma forma divertida e descontraída, e em poucas palavras, Veríssimo nos fez pensar em tantas coisas… Pensar em como anda a violência em nosso mundo, como lidar com ela. Como vivemos a mercê do outro.

E mais ainda, pensar no sentido figurado da crônica. Os assaltos, as casas, a segurança diz respeito também aos nossos sentimentos, a nós mesmos, a forma como nos trancamos dentro de nós com medo do que vão pensar, dos insultos, de tentarem cancelar nossos sonhos…

E depois de presos (tanto dentro de casa como dentro de nós mesmos) gritamos por liberdade. Planejamos fuga, enganamos a dor, mentimos para o mundo, pulamos a janela, para ver até onde vamos conseguir chegar.

cronica verissimo 004

Obrigada pela bela crônica, Veríssimo.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês.

E ah, o que acharam desse projeto? Vamos trocar figurinhas. 

 

Projeto Clarice-se | Uma Galinha

E o conto escolhido para o mês de Abril do Projeto Clarice-se foi: Uma Galinha.

Nesse pequeno conto, protagonizado por uma galinha que morava no quintal de uma casa prestes a morrer e uma criança interromper esse ato, Clarice me fez refletir sobre duas coisas importantes:

Comer carne – Não sei se já comentei, mas anos atrás eu tentei deixar de comer carne. Sem sucesso, com hipoglicemia, precisei voltar e tive dificuldades em parar. Embora desapontada com o insucesso, eu preciso confessar que gosto e sinto falta. Mas o texto foi todo centrado na própria galinha. Ela era a principal. A família secundária. Clarice conseguiu de uma forma simples descrever o desespero da pobrezinha sabendo que iria virar comida. Deu um nó na garganta em lembrar disso. Animais são espertos, sabem que vão morrer. Dá dó, mas ainda preciso. Não como todos os dias, e não fico querendo provar animais diferentes por diversão ou curiosidade.

Animais de estimação – Era era só uma galinha. Mas tinha sua própria vida. A criança teve pena, todo mundo acabou tendo também. E o animal vira da família e isso está cada vez mais comum. Todos os dias a gente fica sabendo de famílias que criam bichinhos diferentes do que estamos acostumados e os tratam com todo carinho. Minha cachorrinha faleceu tem dois meses e sei a falta que ela faz aqui em casa. A gente acostuma com o carinho recíproco deles, com a alegria, e eles se tornam membros da família. A galinha não percebia esse detalhe. Mas a minha Teca sabia perfeitamente o significava para nós.

E não posso dizer que, hipocritamente o final foi triste. Não vou dar spoiler mas acho que alguém já entendeu.

Desejo um dia conseguir parar de comer carne. Nunca é tarde.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês.

Conto retirado do link: Releituras