Projeto Fotográfico Agosto – BEDA#10

Olá! Hoje é dia de Projeto Fotográfico do “Vai um café?” e o tema escolhido foi LIVROS!

Quem me conhece sabe obviamente minha paixão por livros, como os amo e me dedico a eles.

Para as fotos, resolvi fotografar as coleções dos meus escritores preferidos. E ao final, o livro que mais amo.

Vamos conferir?

Thalita Rebouças

Livros preferidos

Sophie Kinsella

Livros preferidos (2)

Meg Cabot

Livros preferidos (3)

JK Rowling <3

Livros preferidos (4)

Pedro Bandeira

Livros preferidos (5)

O mundo de Sofia – Jostein Gaarder

Livros-preferidos-6.jpg

E vocês, quais os livros preferidos daqui? Curtiram as fotos? Como sempre aceito sugestões e críticas construtivas.

Não utilizei minha câmera para fotografar os livros, pois troquei de celular e quis testar a sua câmera. Gostei do resultado, e vocês?

Beijo no coração!

postagem-coletiva

Projeto Clarice-se | O Jantar BEDA#03

Olá! O Jantar foi o conto de Clarice Lispector escolhido para o mês de Julho. Como estava viajando acabei não fazendo e deixei para o início de Agosto – Sorry –

o jantar

O conto gira em torno de um homem, em um restaurante, que para para observar outro durante o jantar. Narra com detalhes suas emoções a forma como come, mastiga os alimentos, trata o funcionário e que possivelmente está sentindo no momento.

A princípio, trata de um conto simples, detalhista, uma história rápida. Posso dizer que até um pouco sem graça. Vamos dizer que conta com detalhes algo que aconteceu em uma hora.

Mas quando voltei para analisar, me fez pensar em algumas coisas:

  • Às vezes não paramos para observar os outros. Todo mundo que está ao nosso redor tem sua história de vida, está pensando em alguma coisa, vivendo problemas que a gente nem faz ideia.
  • Muitas das vezes estão passando o mesmo que nós.
  • Cada um tem sua forma de lidar com os problemas. O homem que observava tinha dificuldades para o jantar, estava aéreo em seus pensamentos. O homem observado era rude, lidava com rispidez e comia sem sentir a própria comida.
  • Não cabe a nós julgarmos. Interessante que no conto o homem que observava apenas observava rs
  • E muitos etcs que talvez tenham ficado para trás.

Confesso que não foi o melhor conto de Clarice que li até hoje, mas valeu a reflexão.

Para quem quiser conhecer melhor o projeto, só entrar no grupo do FaceBook: Clarice-se

O conto foi retirado desse site: Blog Veredas

Mas conta aí, gostou do conto? Alguma reflexão a mais?

Um beijo grande no coração!

15871650_348801332173570_5356675192006676059_n

Hoje é dia do escritor, bebê <3

Oláá amigos! Hoje é dia do escritor! Hoje é meu dia, que dia mais feliz 😀

dia do escritor

Acho que já falei em milhões de posts a minha alegria de escrever. Sei que já ficou chato, clichê e ninguém aguenta mais ouvir. Só que é muuuita verdade rs.

Sempre falei que a maior alegria de ser escritora é saber que, de alguma forma, estou mudando alna vida de alguém, que alguma coisinha que escrevi fez sentido e foi importante pra quem leu.

Recentemente estava estudando Teoria da Literatura para uma prova e por várias vezes li coisas do gênero:

” (…) um espectador/leitor possa sentir-se mobilizado quando se identifica com as experiência tristes ou angustiantes do herói ou mesmo com as conquistas e vitórias do personagem, seja porque ele as experimenta também ou porque se sente liberto de tais problemas (…)”

Laura da Silveira Paula – Teoria da Literatura (livro da faculdade)

E cada vez mais lia sobre a importância e necessidade da arte na formação do ser humano e a Literatura como parte dela, mas me sentia contente e certa de que estou no caminho certo e fazendo realmente algo gratificante.

Em um ano de carreira conquistei leitores fieis, meninas lindas que se identificaram com a história e pedem mais. Mulheres adultas que viajaram no tempo e lembraram de acontecimentos de seu passado.

DSC06835
Eu e minha musa inspiradora <3

Fiz um post falando Como me inspiro?  ano passado. Hoje, digo que o que me inspira é ver o resultado. É ver os olhinhos das meninas para a história, receber um recadinho fofo dizendo o quanto gostou. Chego a ser até egoísta dizendo que é ver a tristeza de quem quis comprar mas não teve como. É ver pessoas recomendando, emprestando aos demais, comentando cada detalhe.

O retorno me inspira, me motiva, me faz querer continuar.

Afinal, todos nós passamos por problemas, buscamos soluções e, às vezes as encontramos em histórias, em frases, filmes, músicas. Achamos graça e pensamos que foi feita pra nós mesmos.

Sou muito grata pelo dom de escrever, por poder fazer da vida das pessoas mais colorida, alegre, feliz, dar uma luz aos seus problemas (sério gente, uma menina fofa falou isso e está documentado no meu vlog da FLIR – Feira do livro em Resende (vídeo no canal!!!!)

Agradeço a todos os escritores que me ajudaram, que sem me conhecer participaram da minha formação.

A JK Rowling que me deu a maior alegria da minha adolescência.

À Thalita Rebouças que me motivou a escrever, me fez rir e chorar com suas histórias

Ao Pedro Bandeira que também fez da minha adolescência mais feliz.

À Patrícia Barboza que já até me deu dicas para a carreira

À Tammy Luciano pelas belas histórias e as diquinhas em seu canal

À Meg Cabot por me fazer sentir em casa com O Diário da Princesa

À Carol Sabar pela amizade e força para eu seguir em frente

E à tantos outros que fazem parte da minha vida…

Ser escritor não é ter concorrente, é se sentir parceiro dos demais, um dar força ao outro, torcer pelo sucesso e acreditar que se eu consigo, você também pode (homenagem especial à Thalita, Tammy, Patrícia e Carol que, direta ou indiretamente passaram isso pra mim). Sei que existem escritores que se acham melhores, mas a gente ignora e fica com a maioria amiga.

flir17 062

Obrigada você que leu esse texto até o final. Comente Bailarina se chegou até aqui e dê um VIVA aos nossos escritores preferidos!!

Grande abraços aos leitores, à você que ainda lerá meu livro, que me dá força e à você que também é escritor (parabeeeeens!!) e/ou que sonha em ser.

 

 

Peter Pan – Edição Comentada e Ilustrada

Olá amigos! Ganhei Peter Pan – Edição comentada e ilustrada de niver de um casal de amigos que muito amo (obrigada Carine e Renato!).

Assim que abri a caixinha fiquei tipo louca, achei lindo DEMAIS da conta. Até fiz stories no Instagram 😉

Imagina só, Peter Pan é uma daquelas histórias clássicas que todo mundo ama, não adianta negar. E essa edição veio um tanto quanto especial. Querem ver?

peter pan 007
Tudo começa pela própria capa: Simples e impactante. E de capa dura (nem amo!)

Logo de início, somos surpreendidos com uma folha laranja lindérrima, antes de virar para as informações da obra.

peter pan 010

Achei o máximo a apresentação da obra.  Flávia Lins e Silva, autora infantil e roteirista, fez uma breve biografia de JM Barrie. Para cada detalhe, ela cita exemplos da própria obra. É fantástico descobrir como ele pensou em cada detalhe para história, como a caracterização dos personagens.

peter pan 012

“A caracterização que Barrie faz de cada personagem é riquíssima em detalhes. Nenhum deles é banal ou sem características originais” (Flávia Lins, na apresentação da obra)

Flávia faz análise psicológica de Peter Pan, inclusive a respeito de sua sexualidade, cita até Freud.

Eu sempre adorei vilões (me julguem) e, claro, que não pude deixar de adorar todas as páginas só sobre ele.

Lindas também as páginas sobre a Terra do Nunca, lugar onde a gente sempre quis viver alguma vez na vida (ou até hoje rs), me fez viajar.

E a apresentação encerra contando toda a estrutura do texto, com o esquema casa-longe-casa, que é um afastamento da realidade, do mundo adulto, para que possam enfrentar seus problemas sozinhos.

As ilustrações também não ficam para trás. Gente, que lindas! Todas em preto e branco, todas originais pelo próprio FD Bedford.

peter pan 011

E, por último, a gente se delicia com a cronologia da vida e obra de JM Barrie.

peter pan 013

Acho que já falei, mas falo de novo: que livro LINDO! Fiquei encantada com cada detalhe, as cores, a diagramação, impressão… tudo tão perfeito.

Lembram do post que fiz sobre os 5 livros mais lindos da minha estante ? Se eu tivesse recebido antes cooom certeza entraria na lista.

E a história nem preciso dizer, né? Ainda não tive tempo de ler, li apenas a apresentação, mas estou morrendo de vontade de sentar com calma pra isso. É a típica história que todo mundo conhece, mas nunca leu a original.

E ele termina tipo assim:

peter pan 015

Quem ainda não sabe, estou cursando Letras e quero muito seguir carreira na área de Literatura. Nada mais importante do que conhecer os clássicos, saber a forma como foram escritos, pensados…

Esse livro faz parte da coleção Clássicos da Zahar. Com certeza irei querer os outros.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês!

 

 

A menor mulher do mundo | Projeto Clarice-se

Olá! A menor mulher do mundo foi o conto escolhido para o mês de Junho (tá, eu sei que já é Julho, mas tive uns contratempos aqui, sorry) para o Projeto Clarice-se!

Só tenho 3 letras para esse conto: UAU!

Fonte: Pinterest

Sério, que história profunda. Relativamente pequeno (três páginas no Word) porém longo de ser lido. Sabe quando você pára para reler e fica divagando sobre o que leu? É bem isso. Instigante. Vale a pena.

O conto narra a história de um explorador francês que, ao fazer uma expedição na África, topa com uma tribo de pigmeus. E lá conhece a menor mulher do mundo. Fica abobado. Ela ainda por cima estava grávida! A chama de Pequena Flor e a fotografa para o jornal. O conto segue com as famílias lendo-o em suas casas e comentando (cada comentário!). Ao final, o explorador é surpreendido com uma risada da moça e Clarice nos encanta narrando todo o interior de Pequena Flor.

Ficou curioso? Encontrei o conto aqui: E-disciplinas

A menor mulher do mundo me fez pensar em uma série de fatores:

1 – A hipocrisia

Aliás, Clarice aborda muito esse assunto, chega até a dar uma vergonhazinha interna, do tipo: Quem nunca? Quantas vezes olhamos um noticiário, nos apiedamos, lamentamos o ocorrido e voltamos pra o nosso mundo? Sem contar que costumamos procurar esquecer o que vimos.

2 – Esquecer que os outros têm sentimentos

Também uma forma de hipocrisia. Ver o outro, diferente de nós, achar “bonitinho” e tratar como se fosse um objeto. Temos uma mania de fazer isso com crianças, bebês. Imagina com a menor mulher do mundo? Achar que é um brinquedo, coisa fofa, como se não fosse um ser humano como nós, algo muito bem mencionado no final do conto.

3 – Desigualdade social

Acho que nem precisava comentar, né? Enquanto Pequena Flor lutava para sobreviver, pessoas em suas casas se deliciavam em um domingo em família, lendo seu jornal, pensando na roupa nova que precisava comprar para o filho. Outra forma de hipocrisia? Talvez.

4 – Temos pena de que?

Esse é um assunto que tenho me perguntado muito. Sentimos pena de pessoas que levam uma vida diferente. São pobres, não tiveram acesso ao estudo, vivem um lugar precário. Mas mesmo assim, de que temos pena? Da vida menos favorecida ou do sofrimento? Às vezes vejo que eles são tão felizes (ou talvez até mais) que a gente. Clarice foi tão certa ao mencionar o que era felicidade para a tribo!

O que é felicidade para nós? Ter um carro, uma casa, bom emprego… Enquanto para o outro só o fato de estar vivo já o faz feliz. Pequenos gestos são grandes. Por vezes tem muito mais amor que nós. Isso porque aprenderam a não exigir mais da vida, a aproveitar o que ela tem de melhor.

Acho que precisamos aprender com eles.

Obrigada mais uma vez, Clarice!

 

Todo mês resenho um conto de Clarice Lispetor, quer ler os outros? Só entrar no link: Clarice-se

Beijo no coração!!

5 livros mais lindos da minha estante

Olá! Hoje é dia de vídeo no canal! Dia de mostrar os 5 livros mais lindos que tenho na minha estante!

Tarefa difícil, não? Mas a verdade é que a gente sempre tem aqueles queridinhos, aqueles livros mais lindos que amamos ter na nossa estante, dando aquela caprichada e enfeitada nesse cantinho que, certamente, é nosso preferido em casa.

Separei os 5, e o mais engraçado foi receber de presente, depois do vídeo pronto, mais um livro lindo que talvez entraria na lista, mas farei um post especial para ele.

Mostrei o interior desses livros mais lindos, porém, no vídeo não ficou tão nítido 🙁 e vou deixar as fotinhas pra vocês verem e se deliciarem…

Os Goonies

Ahh, tenho um post falando sobre o filme, só conferir aqui: Filme preferido da infância

O diário da Princesa – Edição comemorativa de 15 anos

Tem post contando do dia que conheci a Meg Cabot aqui: Meu encontro com Meg Cabot e rolou até vídeo no canal, que aliás foram os primeiros conteúdos do blog.

Os Contos de Beedle, o Bardo

Confissões de uma garota exluída, mal-amada e (um pouco) dramática

Apaixonada por palavras

Ganhei de presente, só conferir nesse post aqui: Livros presente do papai

Agora, sem lenga lenga, ele: o vídeo!

Gostaram? Lindos, não?

Mas conta vocês, quais os livros mais lindos da sua estante? Quais queria ter?

Vamos trocar novidades literárias 🙂

Um beijo grande no coração de cada um…

<3

 

 

O Amor nos Tempos de #Likes

Olá! Li O Amor nos Tempos de #Likes em meio a provas e trabalhos e só posso dizer que AMEI.

o amor nos tempor de #likes

Uma leitura fácil, prazerosa e interessante, são três contos escritos por booktubers conhecidos, abordando como anda o amor nesse tempo em que a internet ganha força <3

Ganhei o livro do papai, confira o post dos presentes aqui: Livros presentes do papai 🙂

O amor em tempos de #likes  foi um convite da Editora Record aos booktubers, para que cada um escrevesse um conto baseado em um clássico da Literatura, a escolha deles.

Cada conto com sua característica, mas todos se passam em meio a descobertas amorosas em meio a internet. Vamos falar sobre cada um deles?

Próximo destino: Amor – Pam Gonçalves

Fonte: Google Imagens

Adooooro a Pam, aliás foi através do antigo blog dela, o Garota It, que comecei a descobrir a Literatura pela internet. Mas vamos falar do conto, né?

Narra a história de Liz, uma youtuber famosa que é viciada em trabalho e não pensa em ter relacionamentos. Bem, até encontrar no aeroporto (e embarcar no mesmo vôo) William, um rapaz também muito ocupado que, além de administrar a empresa de seus pais já falecidos, precisa cuidar de sua irmã doente. Um história linda, posso dizer até fofinha, com uma série de coincidências fofas, que me fez torcer o tempo todo pelo final feliz. Faz a gente pensar que, mesmo na correria do dia-a-dia, dá tempo para amar, e os prazeres da vida. Muito mais importante que ter coisas, é ter pessoas. Tem uma situação emocionante nesse conto, mas vou deixar para descobrirem assim que ler rs é um pouco tapa na cara misturado com fofuras (quantas vezes falei fofo?). Vale acrescentar que termina com gosto de quero mais. Quero continuação.

Clássico? Orgulho e Preconceito

(Re) começo – Bel Rodrigues

Fonte: Google Imagens

Passada a fofura do primeiro conto, uma história um pouco mais pesada. Conta a história de Madu, uma mocinha que ama ver vídeos no YouTube e acaba de sair de um relacionamento abusivo (Gente, ela só tinha 17 anos, tão nova, fiquei muito chocada! E mais ainda por saber como isso existe.) e, para comemorar seus 18 anos vai passar uns dias em Búzios. E, bem, conhece uma pessoa muito especial. O final é bem gostoso, romântico e dá uma sensação de alívio gigantesca, depois de Madu sofrer tanto finalmente vai poder seguir em frente.  Uma história recheada de reflexões, não apenas sobre relacionamento abusivo, mas também com questões psicológicas a respeito de Madu e sua vida. Fora que te faz torcer muito mais para que a protagonista se dê bem no final.

Clássico? Dom Casmurro

337 km – Hugo Francioni e Pedro Pereira

Fonte: Google Imagens

O melhor conto! Fechou com chave de ouro, cheio de fofuras, risadas e amorzinho <3 Conta a história de Ramon e Júlio, dois meninos que se conhecem pela internet e se apaixonam. As conversas dos dois são muito divertidas, fiquei com vontade de ser amiga deles, estar perto acompanhando tudo, dando conselhos, participar dessa história de amor. 337 km é a distância que os separam e tudo termina com aquela mensagem que nada é impossível quando a gente ama. Que a gente precisa tentar, perder esse medo tolo de correr atrás das coisas, mesmo sem saber se vai dar certo ou não. Até porque a gente só vai saber se deu certo depois que fizer. Aaaah, só lendo mesmo para saber, melhor, para sentir toda a emoção que esse conto dá. E olha que o problema para eles não é só a distância, não.

Clássico? Romeu e Julieta.

Mas, e aí? Quem já leu O Amor nos Tempos de #Likes ? Quem não, ficou com vontade?

Eu super recomendo, e, por serem contos, dá pra ler devagar, um por vez, se você tiver atolada de coisas como eu 😉

Um beijo grande no coração de cada um…

Uma amizade sincera | Projeto Clarice-se

E o conto do mês de Maio do Projeto Clarice-se foi Uma amizade sincera.

UAU!

Como esse conto mexeu comigo!

Fonte: Pinterest

Falar de amizade me dá um friozinho na barriga rs. Tenho muita paixão pelos meus amigos, que cultivo desde os tempos de Ensino Médio. A gente fazia tanta coisa juntos… mas com o passar dos anos a coisa toda foi diminuindo, a frequencia de encontros, os papos. Mas nunca a amizade.

E exatamente isso que mexeu comigo no conto: os dois amigos, personagens da história, se conheceram no Ensino Médio e foram crescendo ao longo da narrativa, vendo-os se afastarem por questões naturais. Já não tinham as mesmas vontades, os mesmos assuntos, as mesmas experiências. Mas ainda se gostavam, queriam se ver, queriam segurar essa amizade.

Eu mesma já tentei segurar amizades durante tanto tempo, e me vi em diversas frases do conto. Inventava mil malabarismos para segurar, respeitar as diferenças, fingir que também estava gostando daquilo e que duraria para sempre. Só que não. O tempo foi dizendo que não dava mais, os caminhos já tinham se seguido diferentes e, alguns casos, nós éramos diferentes.

Esse desespero em manter a amizade no conto eu mesma já senti quando mais nova.

Como a própria Clarice disse: Amizade é matéria de salvação. A gente precisa de amigos, mas eles entram e saem da nossa vida ao longo dos anos. Uns duram pouco, outros mais tempo, cada um deixa sua marca. E, claro, temos aqueles que sabemos que sempre estarão conosco.

Isso porque, e Clarice (diva!) falou tão bem, tão delicadamente, o mais importante é saber que somos amigos, que temos amigos. Que um vai sempre poder contar com o outro, sempre. Linda demais a parte do conto em que eles se ajudam, comemoram juntos e se despedem novamente.

É isso, mesmo com vidas diferentes, um pode contar com o outro, sem precisar dessa obrigação de estar sempre juntos, como já foi tempos atrás. A gente aprende isso com a maturidade.

Fonte: Pinterest

O final do conto foi triste, confesso que achei. Mas me fez refletir sobre algo que Clarice não contava na época que escreveu: na existência das redes sociais. O que mantém eu e meus amigos unidos até hoje é poder matar as saudades com um bom dia no Whatsapp, uma foto no Facebook, marcar um encontrinho no almoço de domingo e receber notícias.

Isso tudo nos torna amigos sinceros. Sempre.

E você, tem amigos sinceros? Não deixe de ler o conto, é lindo e desejo que se emocione tanto quanto eu.

Encontrei aqui: Uma amizade sincera

Beijos no coração

15871650_348801332173570_5356675192006676059_n

Livros da autora Livia Brazil

Oláá amigos, quem já ouviu falar da autora Livia Brazil?

livia brazil 012

Nascida em 5 de Maio (hoje!! Coincidência? Não, é meu presente de aniversário para ela), é formada em Produção Cultural, mora na Cidade Maravilhosa. Atualmente divide seu tempo entre os livros, trabalho formal e sua marca de artesanato em cadernos, a LadyRat.

Publicou seu primeiro livro, Queria Tanto, em 2011 pela Editora Benvirá. A obra conta a história de Alice Maria, uma garota de 20 e poucos anos, apaixonadíssima por Gabriel, que retribui parcialmente essa loucura, afinal é gay. Durante a história, divertidíssima por sinal, Alice sabe que precisa esquecer e partir pra outra. Conta com seus amigos e vive aventuras e grandes descobertas. Um livro pequeno, divertido, com uma linguagem simples e cotidiana. Deu pra sentir raiva do Gabriel e vontade de dar aquele empurrão de amiga na Alice.

livia brazil 005

É baboseira esse negócio de namoro. Quem precisa disso? (…) Pena que não penso assim. Pena que não consigo parar de querer que o gracinha do Gabriel se decida de uma vez, pare de enrolação e fique logo comigo. Só comigo.

Em 2013, publicou seu segundo, Coisas não Ditas, também pela Editora Benvirá. Conta a história de Lucie, uma jovem-futura-atriz que vive um crush com Rafael, um personagem fofo e simpático, devo confessar.

livia brazil 007

Mas, mesmo com toda a fofura ela não consegue se decidir e namorar logo com ele. A verdade é que ela guarda um segredo, ão quer por nada que ele descubra, sente insegurança e medo do que pode acontecer consigo mesma. Uma história cheia de humor, descontraída e vai te dando aquela curiosidade de saber que segredo é esse. Sem contar que o livro é todo inspirado em músicas, e, logo no início do livro, encontra a playlist.

Em 2016, publicou pela Amazon seu terceiro livro: Nada sobre mim. Esse infelizmente eu ainda não tenho (não tenho ainda o hábito de ebooks).  Mas segue a sinopse:

nadasobre mim Livia Brazil

Manuela tem uma banda com seus 3 melhores amigos e trabalha em uma loja de discos. Seu chefe é apaixonado por ela e ela sabe disso, porém ela tem um relacionamento violento e abusivo com seu vizinho, que tenta manter em segredo.

Alguém com vontade de conhecer melhor o trabalho da fofa Livia Brazil? Só conferir nos links:

LadyRat – IG LadyRat – IG Livia Brazil – Nada sobre mim

1d85b35f0f5b64ac9f7c6dbf16271111

Livia, minha amiga: feliz aniversário! Que continue com esse brilho, seu talento e essa pessoa fofa que é! Mil beijos

Um beijo grande no coração de cada um de vocês! Boa leitura <3

 

 

 

Projeto Clarice-se | Uma Galinha

E o conto escolhido para o mês de Abril do Projeto Clarice-se foi: Uma Galinha.

Nesse pequeno conto, protagonizado por uma galinha que morava no quintal de uma casa prestes a morrer e uma criança interromper esse ato, Clarice me fez refletir sobre duas coisas importantes:

Comer carne – Não sei se já comentei, mas anos atrás eu tentei deixar de comer carne. Sem sucesso, com hipoglicemia, precisei voltar e tive dificuldades em parar. Embora desapontada com o insucesso, eu preciso confessar que gosto e sinto falta. Mas o texto foi todo centrado na própria galinha. Ela era a principal. A família secundária. Clarice conseguiu de uma forma simples descrever o desespero da pobrezinha sabendo que iria virar comida. Deu um nó na garganta em lembrar disso. Animais são espertos, sabem que vão morrer. Dá dó, mas ainda preciso. Não como todos os dias, e não fico querendo provar animais diferentes por diversão ou curiosidade.

Animais de estimação – Era era só uma galinha. Mas tinha sua própria vida. A criança teve pena, todo mundo acabou tendo também. E o animal vira da família e isso está cada vez mais comum. Todos os dias a gente fica sabendo de famílias que criam bichinhos diferentes do que estamos acostumados e os tratam com todo carinho. Minha cachorrinha faleceu tem dois meses e sei a falta que ela faz aqui em casa. A gente acostuma com o carinho recíproco deles, com a alegria, e eles se tornam membros da família. A galinha não percebia esse detalhe. Mas a minha Teca sabia perfeitamente o significava para nós.

E não posso dizer que, hipocritamente o final foi triste. Não vou dar spoiler mas acho que alguém já entendeu.

Desejo um dia conseguir parar de comer carne. Nunca é tarde.

Um beijo grande no coração de cada um de vocês.

Conto retirado do link: Releituras