O chato – Martha Medeiros

Olá amores! O Chato, de Martha Medeiros foi a crônica escolhida do mês de Novembro. E, tipo, como não amar?

Fiquei mega interessada por ela desde que soube de sua existência enquanto estudava Leitura em Língua Portuguesa na faculdade.

O Chato conta a história de uma mãe que conversa a respeito de seu filho, que AMA livros, mas nem por isso é chato. Ele sai, tem amigos, é engraçado e gosta de conversar.

E com isso, Martha Medeiros faz a maravilhosa reflexão, que era o tema da matéria: por que cargas d’água o povo adora rotular as pessoas que gostam de ler de chatas?

No colégio sempre tem o nerd, que é o estudioso, que tira boas notas, mas que tem o rótulo de ser o quietão, antissocial, o chato. Ou a chata.

E na adolescência ainda tem aquela fama básica: que não pega ninguém.

Por falar nisso, leia também: Hábitos de leitura (vídeo no canal!!)

Mas, me digam: quem disse isso? Por que quem gosta de ler tem que ser chata e quem não gosta é popular? Falo da adolescência, mas até quando chega na idade adulta continua esse rótulo.

Quem disse que é chato? Dá reunir com a BFF e ler juntas <3

Nós aqui, que gostamos de ler, sabemos muito bem disso. Somos legais, temos vida social e, sinceramente, a leitura ajuda taaanto a se socializar.

Quem aqui não fez amizades por conta de livros? Sentou pra bater aqueeele papo com um amigo (ou amiga) sobre o livro que leu, trocou nomes, indicou e, melhor ainda, conheceu gente nova na internet.

A leitura nos torna mais sociáveis, amplia nosso vocabulário e nos dá até mais assunto pra conversar. Todo mundo pode ler, sair, conversar, viajar, namorar… ser feliz! Dá tempo para tudo.

Ou até mesmo partir para uma leitura coletiva 😉

E, no mais, se a pessoa em questão preferir ficar no sofá, de pantufa, lendo um livro até altas horas, qual é o problema? Não precisa ser o chato da história, cada um faz o que ama, não está prejudicando ninguém, né?

Alguns livros são emocionantes também, né? Saiba quais carrego no coração aqui: 7 livros que tocaram meu coração | BEDA#24

Como disse a própria Martha Medeiros, gente chata é aquela que fica falando o tempo todo, se acha a melhor, fica tomando conta da vida dos outros. Essa coisa de rótulos, de esteriótipos é tão batida, não é?

Martha Medeiros

Aaaaah, como termina muito bem a crônica:

Chato é quem não nos faz rir.

Mas e você, o que achou da crônica O Chato? Concorda com a Martha Medeiros?

Encontrei a crônica nesse link: Crônicas de Martha Medeiros



Vamos compartilhar mais livros pelo mundo, quem sabe assim ele se torna menos chato? Hehe

Beijo grande no coração

Sucesso (Projeto Imagem & Palavra)

Olá amores! Quem aqui quer ter sucesso levanta a mão!

Fonte: Pinteest

Pois bem, imaginei um bando de gente na frente do computador/celular com as duas mãos levantadas. Porque, né… quem não quer?

Mas, aí eu pergunto: O que é ter sucesso?

Segundo o dicionário Google, é

substantivo masculino
  1. 1.
    aquilo que sucede; acontecimento, fato, ocorrência.
    “os s. da história”
  2. 2.
    qualquer resultado de um negócio, de um empreendimento.
    “bom s.”

Engraçado que não vi em momento algum algo do tipo: se dar bem, ter todos os holofotes em cima de si, receber aplausos, etc.

Porque na verdade, e que tenho aprendido devagar, na marra, ter sucesso é algo muito maior que isso.

Vejo que, antes de qualquer coisa, a gente precisa ter uma meta. Se eu quero me dar bem, é em que? Quando conseguimos traçar esses objetivos, tudo clareia e aí começam as estratégias e planos.

ter sucesso
Para ter sucesso <3

E o sucesso vem quando finalmente conseguimos alcançar nosso objetivo. Nem sempre vai vir acompanhado de holofotes, nem de aplausos, mas, sempre e principalmente, de uma satisfação, um sentimento bom, um sorriso bobo de orelha a orelha e vontade de sair pulando pelas ruas.

 OK, esse último é exclusividade minha rs.

Tenho mania de ficar na internet pesquisando e lendo sobre coach, dicas de empreendedorismo e planejamentos pessoais. Como falei nesse post: Rotina de organização – BEDA#21, sou absurdamente desorganizada e isso me atrapalha muito a atingir meus objetivos.

Certa vez, li no blog da fofa Paty Pegorin sobre a importância de comemorar cada vitória, cada passo que a gente consegue dar, cada pequena coisa boa que acontece. Com isso você diz para seu cérebro que está tudo indo bem, te motiva a continuar e valoriza o que já conseguiu.

Fonte: Patypegorin.net

E, sempre, mas sempre meeesmo agradecer. A gratidão se tornou a palavra da minha vida. É triste dizer, mas tenho esquecido dessa prática. A correria e o desânimo às vezes atrapalham. Por isso a organização pessoal se faz necessária, e estou satisfeita por estar conseguindo devagar.

Aliás, tenho um post fofíneo sobre gratidão, aqui: Feliz dia da Gratidão!!!

Enfim, resumindo o post: Se quer ter sucesso, primeiro precisa saber em que: traçar uma meta, se planejar, estudar, pensar nas estratégias, correr atrás, fazer acontecer e comemorar.

E sem esperar holofotes, pois isso não é sucesso, é vaidade 😉

Desejo muuuito todo o sucesso do mundo pra vocês! Um brinde a nossas vitórias <3

 

 


Um beijo grande no coração de cada um!!

O que ainda dá tempo de fazer em 2017?

Olá!É fim de ano e ontem o Facebook me lembrou fofamente de um post do ano passado: O que ainda dá tempo de fazer em 2016 e achei bem legal repetir com relação a 2017 🙂

O que ainda dá tempo de fazer em 2017?

Primeiramente quero lembrar que ri muito lendo o iniciozinho. Como gosto de mudar os planos, remexer em tudo. A princípio isso parece bom, mas já chegou a hora de focar.

Esse ano foi bem marcado por falta de foco, desorganização e questionamentos. E fico feliz em ter percebido isso. Foi dado o momento de parar pra saber aonde estava errando e reorganizar tudo.

Enfim, falando em foco, vamos retornar ao post:

Agora é hora 🙂

O que ainda dá tempo de fazer em 2017?

  • Arrumar meu escritório;
  • Comprar mais um equipamento para minha câmera (alôô Black Friday!!)
  • Planejar outra viagem legal e barata
  • Planejar meu blog todo de novo
  • Trocar o layout do blog
  • Escrever a metade do livro novo
  • Surpresinha!!!

A surpresinha é surpresa mesmo, não posso falar ainda, mas é questão de honra. HAHA!

Mas voltando ao post passado, dá uma agoniazinha pensar que consegui fazer poucas coisas, ou quase nada.

 Não consegui ir a nenhuma festa legal (sair pra jacar conta?) e nada de sessão de autógrafos. Andar de patins igual gente dá até vergonha tocar nesse assunto.

Bem, feliz que os dois primeiros itens consegui esse ano!!

Fonte: Norma estética

O terceiro livro eu não gostei e resolvi arquivar a história. Mas falarei sobre isso em um post especial.

Enfim, vamos fazer metas para esse finalzinho de ano em que possamos realizar. Creio que uma das maiores frustrações da vida em não conseguir nada é fazer planos mirabolantes.

Comecemos com coisas mais simples. Depois a gente dá outro passo 😉

Mas e você, o que ainda dá tempo de fazer em 2017? Foco que a gente consegue tudo.




 

Boa sorte para todos nós!!

Um final de semana abençoado.

Beijo no coração!!

 

 

Jardim das recordações – Livro de colorir antiestresse

Oláá!! Quem aqui gosta de livros de colorir levanta a mão! E aaamo e meu preferido é esse aqui, o Jardim das Recordações

jardim de recordações
Arteterapia – Jardim de recordações

Lembro, uns anos atrás que teve o boom dos livros de colorir para adultos. Todo mundo voltando a ser criança, comprando lápis de cor, se divertindo e compartilhando nas redes sociais suas pinturas.

Lóógico que eu entrei na onda, comprei dois numa feira de livro, tava R$9,90 cada um e me empolguei. Depois fui na Bienal do Livro de São Paulo e comprei mais um monte, eles estavam por R$5,00.

jardim de recordações meu
Primeira página, toda fofínea

E Jardim das Recordações estava no meio <3 Gostei taaanto dele que deixei guardadinho até comprar uma caixa de lápis de cor decente hehe. Sim, usava uns velhos aqui de casa. Ainda uso, mas queria uma melhorzinha.

jardim de recordações e caixa da faber castell aquarelável

Até ganhar de aniversário da mamis essa caixa da Faber Castell aquarelável. Apanhei um pouquinho para usar o pincel, mas foi dando certo com o tempo.

E assim meu jardim das recordações foi ficando mais lindo e mais colorido <3

Jardim de recordações livro de colorir

E sei que vocês devem estar se perguntando: o que seria o Jardim das Recordações? É um livro cheio de flores para colorir?

Então, esse nome é pelo fato de, ao longo das páginas, nos darem aqueeela nostalgia gostosa, com imagem de coisas do passado, fazendo lembrar de bons momentos que já vivenciamos.

Olha só um pouquinho delas:

E ainda tem as minhas fofoletes já pintadas:

Também tenho uma pasta no Pinterest com imagens pra imprimir e colorir, essa daqui: Para colorir.

O que acharam das imagens e das minhas pinturas? Passo horas pintando, às vezes planejo as cores, às vezes vou apenas pintando para ver no que vai dar rs

Adoro tirar um tempo para relaxar. Principalmente no feriado, como contei nesse post aqui: De bobs no feriado.



O livro foi publicado pela editora Ciranda Cultural e ilustrado por Carol Juste.

Um beijo grande no coração de cada um !

Alguém vai contar? Maria Dinorah

Olá! “Alguém vai contar?”, de Maria Dinorah, é a poesia escolhida desse mês.

alguem vai contar
Encontrei por aí a imagem. Caso saiba o dono doa direitos, conta pra mim, viu?

 

Absurdamente fofa, faz você imaginar tudo, os lugares, o calor do sol, a profundidade do silêncio.

Afinal, quem sabe o que acontece por trás do silêncio? Pode significar tanta coisa!

Quando leio esse poema me imagino em um lugar distante, calmo e sereno. Onde nada é ouvido, onde finalmente posso ouvir o vento, o cantar dos pássaros e aquela vozinha dentro de mim.

Alguem vai contar Maria Dinorah
Alguem vai contar? Maria Dinorah

Alguém vai contar fala de silêncio de calma e sua própria estrutura já traz paz.

Maria Dinorah, com toda sua delicadeza, nos faz parar um pouco, ainda que no meio de tanta agitação, para respirar, sentir um ar sereno e de tranquilidade.

Parece até uma meditação!

O que acontece por trás do silêncio eu sinceramente não sei, só sei que amo esses momentos de paz e gosto de curtir cada segundo.

Alguém vai contar? faz parte do livro de poesias Coração de Papel, de maria Dinorah. Foi publicado em 1991, pela Editora Moderna e faz parte da Coleção Girassol. Quem lembra dos livros dessa coleção?

São poemas lindos e fofíneos. Vale super a pena conhecer.

Coraçao de papel - Maria Dinorah
Idosinho e ainda cheio de encantos

E por falar em conhecer, não deixe de ler mais sobre a autora, suas obras e encantos: Maria Dinorah – Wikipedia.

Autora Maria Dinorah

E quanto a você, o que achou do poema? Também gosta de momentos de paz?

Deixe pra mim nos comentários o que sentiu quando leu a poesia.




 

Uma semana abençoada.

Beijo grande no coração!

Papel de carta: minha coleção

Olá! Recentemente encontrei minha coleção de papel de carta e fiquei meio que saudosista rs

bdc3443e-40fb-4018-90d0-12aa11ad73a3-4341-00000a289a110f29_file-2

Lembro que uma das pastas eu ganhei de presente de alguém, já cheia e me encantei. Desde então resolvi colecionar. Isso eu tinha uns 7 anos.

Guardávamos nessas pastas catálogo, pretas, com 50 plásticos. Eram dois papéis de carta por página, e ainda tinha o grandão, que ocupava uma inteira.

46b6b119-ce4f-41e9-ac2f-5008ab55b4b4-4385-00000a3b9f9b39b4_file
Minhas pastinhas de papel de carta, só um pouco velhinhas, né? Rs

Comprava, ganhava, trocava! Essa febre durou até uns 13/14 anos.

Eram lindos demais da conta! Cada desenho fofo, cada imagem linda e frase inspiradora..

Como era gostoso ficar arrumando as pastinhas, enchedo toda de papel de carta, arrumando, torcendo para acabar logo e conseguir mais!

Alguns eram de uma mesma coleção. Se fosse hoje em dia eu arrumaria cada papel de carta por coleção, mas não tenho coragem de mexer em algo que arrumei com tanto carinho. Me julguem!

Acho tão legal ver que hoje em dia alguns designer estão resgatando as imagens de papel de carta antigos para capa de caderno, planner e adesivos.

Tinham uns fofoletes que vinham com envelopinho combinando.. A intenção era pra escrever cartinha pra alguém. Muito amor né?

E não posso esquecer da fofura do Amar é… ! Quem lembra do casalzinho peladeenho e as frases de amor mais lindas da nossa época?

Amar é…

Enfim não foi atoa que no meu sorteio de dois anos do blog, Sorteio de mimos de papelaria #2anosdeblog, coloquei alguns que estavam repetidos aqui nas minhas pastinhas.

Se você pesquisar no Google, consegue achar um monte de lojinhas on line vendendo papel de carta, sem contar nas imagens lindas para imprimir.  Achei essa fofura aqui no Mercado Livre.

Aliás, eu tenho uma pasta no meu Pinterest só de papel de carta, adoro imprimir pra escrever cartinhas pras amigas <3 Essa daqui ó: Papel de carta.

E sim, a medida que fui crescendo foram surgindo mais modelos pautados, para escrever bilhetinhos pra quem a gente quisesse.

0f4a7568-3451-41e6-871e-a22a3533cccc-4385-00000a3e078a0e06_file

Muito amor, não era?

Quem aqui foi dessa época? Colecionava papel de carta?

De vez em quando vai aparecer aqui alguma coisa relacionada a eles, e aceito sugestões.



Beijo grande no coração!!!

PS.: Todas as fotos são de minha autoria, da minha própria coleção <3

Cecilia Meireles – coleção crianças famosas

Olá! Quem aí gosta da Cecilia Meireles?

cecilia meireles
Meus livros da Cecília Meireles

Acho que já mencionei nesse post aqui Leilão de Jardim – Cecília Meireles, que ela é minha poeta e escritora nacional preferida rs e hoje é dia de contar um pouco de sua história.

Antes de qualquer coisa, quero contar sobre essa coleção tão linda: Crianças Famosas. Elaborado pela Callis Editora, escrito por Carla Caruso e ilustrado por Angelo Bonito,  conta uma delicada histórias onde os protagonistas são grandes autores e artistas quando crianças.

De linguagem simples e envolve temos a oportunidade de conhecer melhor esses nomes tão importantes da nossa cultura, não apenas para as crianças, mas para nós também, que podemos conhecer melhor esses artistas.

E Cecilia Meireles foi a escolhida para iniciar esse projeto. Sim, vou aparecer algumas vezes mostrando alguns outros livros.

Fonte: Chão de Areia

Cecilia Meireles foi uma menina órfã de pai e mãe. Morava com a avó e não podia brincar na rua com os colegas. Ficava em casa sozinha vendo a avó costurar, imaginando desenhos no assoalho da casa e ouvindo histórias que sua babá, Dona Pedrina, contava.

Era linda, com cachinhos dourados, olhinhos de gato e bem curiosa.

Gostava de imaginar de onde vinham as coisas, ouvir atenciosamente o barulho de tudo. Na idade em que se passa a história, Cecília Meireles ainda não sabia ler. Mas amava os livros. Ficavam folheando e “imaginava que dentro dos livros saía uma voz que ia contando histórias.”

Quando entrou na escola, aprendeu a escrever muito rápido, recebeu medalha de ouro e conheceu outras crianças.

Publicou seu primeiro livro com 18 anos,  Espectros. E assim surgiu a grande, ilustre e tão conhecida escritora que todos amamos, nem que seja lá no fundinho.

Não é atoa que ela se tornou tão famosa né? De uma sensibilidade única, escreveu cada poema lindo que tanto nos encanta.

Quem gostou de conhecer mais um pouquinho da vida de Cecilia Meireles? Foi de se apaixonar né?

Aliás, para quem quiser conhecer um pouco mais dela, só clicar aqui: Wikipédia

Deixe aqui nos comentários o que acharam e quem gostariam de ver aqui no post!



Beijo grande no coração

A menina que odiava livros – Manjusha Pawagi

Olá! Quem aqui já viu o vídeo A menina que odiava livros?

Livro A menina que odiava livros – Editora Melhoramentos

É um vídeo beeem curtinho, encontrado facilmente no YouTube, baseado no livro de mesmo nome, da autora Manjusha Pawagi.

Saiba mais do livro aqui: Google Books

Conta a história de Meena, uma menina que odiava livros (oooh), filha de pais que amavam histórias.

Sua casa era zoneada de livros, mas muitos livros mesmo, espalhados por todos os cômodos: na escada, debaixo da mesa, na cozinha.

Ainda que seus pais lessem muito, ela detestava, achava aquilo tudo uma bobagem sem fim.

Porém, um belo dia, sozinha em sua casa, algo meio insano lhe acontece e ela se obrigada a ler uma boa parte daquelas histórias, para poder resolver um probleminha…

Não contarei mesmo

Bem, acho que todos já sabem o que acontece no final: ela se encanta pelo universo literário, surpreendendo seus pais.

Uma história para crianças, inicialmente, mas acredito que seja para todas as idades. Não apenas por ser encantadora, mas pela lição singela que ela nos deixa.

Fonte: Criança é Vida

A menina que odiava livros me fez refletir em muitas coisas, mas, principalmente, sobre a questão que, lá no fundo todo mundo gosta de ler, mas cada um tem seu gosto, e ainda não descobriu o que mais lhe agrada.

Não era bem o fato de Meena não gostar de livros, mas ela nunca tinha parado para ler de verdade. E vejo que é bem assim que acontece: pessoas dizem não gostar de ler, mas na verdade nunca leram um livro.

Falando nisso, tenho um vídeo que fala sobre hábitos de leitura, deêm um clique para assistir: Hábitos de leitura!

Claro que muitos de nós não fomos acostumados com a leitura, líamos nas escolas por obrigação, para fazer prova e, geralmente livros que não nos interessavam.

Não era atoa que a gente costumava pegar resuminhos na internet, copiar do amigo ou ler de qualquer jeito.

A culpa não era nossa, dos nossos pais ou dos professores: sim de uma sociedade que não foi habituada a ler.

Acredito que as gerações que estão por vir tem mais sorte, estão tendo cada vez mais acesso a livros, conhecimento de quais obras são interessantes para ela.

Olha a internet aqui <3

Claro que o acesso ainda é ruim, mas está bem melhor que de anos atrás.

Fora que hoje em dia tem livro para todo mundo, né?

Enfim, sem blablablas, vamos ao vídeo:


Mas e aí, curtiram A Menina que Odiava Livros? Alguém já conhecia?

Deixem nos comentários o que acharam!

Beijo grande no coração!!!!

A bruxinha – Eva Furnari

Olá! Ontem foi dia das Bruxas, e, para comemorar, o Carioca do Interior resolveu homenagear uma bruxinha fofínea, que habita os livros da autora Eva Furnari.

livros a bruxinha de eva furnari.jpg

 

São livros engraçadíssimos, que narram um universo cheio de imaginações, coisas esquisitas e personagens hilários.

São, em sua grande maioria, tirinhas sem balões, deixando a cargo de nossa imaginação para compor a história.

A Bruxinha tem um traço único, eu, particularmente, reconheço um livro dela de longe.

Eva Furnari

E para quem quiser conhecer mais da autora, só entrar no site oficial dela: Eva Furnari.

A Bruxinha se chama Zuzu e a gente só conhece de verdade vendo, e se encantando <3.

Zuzu usa sua varinha para transformar coisas em objetos que ela precisa, para trolar suas amigas, e ajudar seu gatinho, o Miú. Por muitas vezes ela se dá mal, se irrita com o que foi transformado, tenta consertar, mas estraga tudo de novo, e de novo, mas costuma conseguir.

Como disse, a bruxinha tentando agradar seu gato, mas olha no que deu rs

 

Ela é uma fofa, com carinha de sapeca, simpática e feliz. Parece uma criança com poderes mágicos.

E que coisa boa saber que temos uma bruxinha aqui no Brasil, hein! E fofa!!

 

bruxinha livros.jpg

Os livros a cima eu peguei emprestado na biblioteca de onde trabalho. Aproveitei que as crianças só falavam no dia das bruxas e mostrei um deles. Foram muitas risadas e comentários do tipo: “Nossa, essa bruxa aqui é bonita!”.

Poxa, elas são sempre pintadas tão feias, com verrugas, descabeladas, mas por que não podem ser bonitas? Engraçadas, felizes e legais? Como as crianças adoraram ver uma bruxinha simpática. E preguiçosa, afinal em um monte de quadrinhos ela aparece dormindo rs.

A bruxinha e o gregório - eva furnari.jpg
O livro que as crianças amaram

E para quem gosta de boas risadas, desenhos mirabolantes e bem feitos, independentemente da idade, não pode deixar de conhecer essa coleção tão incrível.

E, já que falamos de Dia das Bruxas, não posso deixar de lembrar da série que mais marcou minha vida, mas que já fiz um post especial: Harry Potter – o livro da minha vida <3

Enfim quem aqui já conhecia essa bruxa tão simpática? Espero que tenham gostado. Procurem mais sobre ela, vão se apaixonar, com certeza.

Beijo grande no coração!