Melhores momentos de 2017

Oláá!! Hoje é dia de mais um post de final de ano. E é dia de agradecer e celebrar os melhores momentos de 2017!!

Créditos na imagem

E não posso deixar de mencionar que esse foi o tema do Projeto Fotográfico de Dezembro do “Projeto Vai um Café?“, escolhido pela linda amiga Mari, do blog Mulher Pequena <3

Enfim, quais foram meus melhores momentos do ano?

Viagem para Aracaju

voo

Eita lugar lindo <3 Amei cada cantinho, praia, gente... aliás, tenho uma série de post aqui sobre a viagem, você pode encontrar todas no post do último dia: Praia do Saco e tchau Aracaju – SE BEDA#24.

FLIR 2017

Sessao de autografos

Já havia participado ano passado e, esse ano, foi ainda mais especial, afinal já estava mais segura e consegui conhecer mais gente, conquistar mais leitoras lindas. Também tenho post desse dia: FLIR – Feira do livro em Resende

Rock in Rio

Rock in rio

Um sonho realizado. Mal tenho palavras para descrever. E, sim, lógico que tem post sobre ele rs Rock in Rio – 22/09, e também o Look Rock in Rio 2017.

Palestrar

Palestra mulheres na literatura

Hoje totalizei minha terceira visita em escolas. E quero cada vez mais palestrar, andar por aí espalhando um pouco de alegria para as pessoas. Claro que teve que rolar post das duas, e sempre rolará, afinal, momento maravilhoso como esses precisa ser compartilhado: A menina, o cofrinho e a vovó (Cora Coralina) BEDA#22 e Mulheres na literatura (bate papo com alunos do EM).

Sessão de autógrafos e parceria para vida

O bailarino e a atleta

Fui convidada para realizar sessão de autógrafos na cafeteria fofa da cidade. Muito feliz acabei por formar parceria com o Leo, essa pessoinha aí maravilhosa, dono da Cafeteria Mr. Caffe. Está sempre de portas abertas, junto com sua esposa (sócia e parceirona), para mais encontros. Além de fazer os melhores cafés da região… E, sim, teve post: VLOG – Autografando na Mr Caffé.

Comemorar 30 anos de vida <3

E um aninho do meu livro!!!

Meus 30 anos

Pois é, a idade chega para todo mundo HAHA e com ela vem a maturidade, a experiência e os aprendizados. Fiz 30 anos de muitas histórias doidas, sonhos e alegrias. Momentos que guardo na lembrança. Amei estar com minha família e amigos mais que especiais nesta data, e, de cara, aproveitei para comemorar o primeiro ano do meu livro. Não fiz vídeo, afinal, foi um momento muito único, mas rolou videozinho abrindo os presentes: Presentes de aniversário!

Ah, e se quiser saber mais sobre meu livro, só entrar na página: A Bailarina e o Atleta!!



Enfim, esses foram momentos mais que especiais que vivi em 2017. Esse ano começou tão sentido, perdi minha cachorrinha Teca, com 14 anos. Foi um vazio muito grande. Mas graças aos amigos, à família, às pessoas que nos cercam, consegui preencher esse espaço que ficou no meu coração. Muito obrigada!

E que venha 2018 cheio de novas realizações!

beijo no coração

postagem-coletiva

Harry Potter – o livro da minha vida <3

Quem aí AMA Harry Potter levanta a mão?

Bienal 17 007

O tema da blogagem coletiva do mês de Setembro escolhido não poderia ser melhor: livro da minha vida!

Para quem me acompanha no Instagram deve ter visto as mil fotinhas na Bienal do Livro RJ, dando uns rolé no stand da Rocco, e só curtindo as decorações potterianas.

A verdade é que esse ano completa 20 anos da história do bruxinho.

Isso tudo? Siiim, estou velha!

Bienal 17 024

Harry Potter marcou minha adolescência de uma forma tão grande que posso dizer que resumiu toda essa etapa da vida. Foram anos lendo os livros, esperando o próximo, ficando na internet pesquisando rumores, teorias, tentando adivinhar como seria o fim.

Momentos lindos que compartilhei nesse vídeo aqui: Expectativas Harry Potter e a Criança Amaldiçoada!!

Bem, a saga acabou (será mesmo?) mas o sentimento continuou. Participei de um encontro de fãs de Harry Potter na Bienal e foi uma emoção sem explicações: reunir mais um monte de gente que teve o mesmo sentimento que eu, saber que não foi loucura minha.

Bienal 17 230

Mas que sentimentos foram esses que ficaram? Bem…

  1. O valor de uma amizade! Tinha amigos melhores do que Harry, Rony e Hermione?
  2. O amor é maior que tudo.
  3. Os herois nem sempre são perfeitos (o Harry era muito chato, diga-se de passagem rs)
  4. Aliás, não precisa ser perfeito para ser heroi, todos temos condições de vencer, mesmo com nossos milhões de defeitos.
  5. Preconceito não serve de nada
  6. A morte é algo natural.
  7. A vida continua, mesmo com todos os problemas…

E mais um monte de coisas ficaram em mim… as frases sábias de Alvo Dumbledore, a vontade de ter uma penseira, de aprender oclumência…

As vezes que chorei com o Harry, que quis bater em alguns personagens…

E de quebra conquistei grandes amizades com Harry Potter 🙂

Tenho muita gratidão por ter vivido nessa época, por ter lido esses livros maravilhosos, que abriram as portas para mais livros. Gratidão por ter permitido entrar nesse mundo mágico, poder sonhar um pouco, imaginar um mundo diferente…

Imagino que, no futuro não tão distante, as crianças irão estudar o fenômeno Harry Potter nas escolas, vai cair nas provas, e saber a importância da saga para a Literatura mundial.

 

Bienal 17 018

E vocês, leram Harry Potter? Conte sua experiência também, vamos trocar nostalgias?

Beijo grande no coração

postagem-coletiva

Meu super herói preferido BEDA#8

Olá! E super herói foi o tema da blogagem coletiva do mês de Agosto do “Projeto Vai um Café?”.

Fonte: Pinterest

Fiquei um bom tempo me perguntando sobre qual seria o super herói preferido, não por eu adorar esse tipo de história, mas por realmente me questionar qual quesito julgar.

Sempre disse que seria O Homem de Ferro, e não posso negar que é pelo seu grande bom humor e sarcasmo. Mas sinceramente, o que faz dele um herói de verdade? Sim, ele salva o mundo.

Analisando bem mais a fundo, gosto de lembrar que ele não tem nenhum super poder. É só um cara mega inteligente que produz armas, inventa coisas mirabolantes e com elas salva o mundo.

Meu irmão sempre foi fã do Batman, e, quando alguém perguntava pra ele o porquê ele respondia: porque ele não tem superpoderes, faz tudo com sua inteligência.

Isso me faz dar aqueeela filosofada boa, de que ninguém precisa ter poderes para ser um super herói. Aliás, todo mundo tem em si um poder especial, um dom, que pode vir a salvar talvez não o mundo, mas uma parte dele.

Meus heróis preferidos?

Médicos, que salvam vidas todos os dias, que se viram nos trinta para que o paciente consiga sobreviver. Isso sem falar nos brilhantes Médicos sem Fronteiras.

Bombeiros, que se arriscam pelo outro, enfrentam os maiores perigos apenas para ajudar.

Professores, que constroem vidas, plantam sementes e orientam para uma vida melhor.

Pais, aqueles que criam seus filhos com todo amor, mesmo errando, mas tentando acertar, com noites mal dormidas, grandes jornadas de trabalho e ainda assim tem tempo para educar seus filhos.

Mas, com toda a certeza, não posso deixar de falar do maior herói que já tivemos, que se sacrificou por nós, que nos deu a maior lição de todas: o amor! Foi aquele que amou a todos, sem escolher, curou doentes e deixou um eterno legado de paz!

Quem respondeu Jesus acertou!

Fonte: cnsrosario.com.br

E para você, qual é o super herói da sua vida?

Um beijo grande no coração!

postagem-coletiva

Projeto fotográfico JULHO

Heeey amigos! Quase no final do mês, mas finalmente consigo postar minhas fotos para o projeto. Sorry!

Enfim, o tema escolhido pela querida Grazy do blog Parolar foi… INVERNO!

Então, chega de papo e vamos às fotos:

1 – Capuccino

Uma das poucas coisas que me animam no frio é tomar capuccino. Esse era de brigadeiro, mega suculento, não ficou muito doce nem enjoativo. Quentinho, bom para esquentar.

cell 001

2 – Neblina

A foto já diz que estamos no inverno por si só. Essa é a vista da passarela que artavesso na estrada para o trabalho

cell 177

3 – Look de inverno

Montei um lookinho que sempre amei usar no inverno. Quem curte?

velho chico 012

4 – Comer

Muito gulosa. Mas é impossível falar em inverno sem falar em comida. Um macarrãozinho quentinho feito pela minha dinda. Hmmm

velho chico 018

5 – Vinho

Claro, para acompanhar o o macarrão, nada como um bom vinho e um bom brinde.

velho chico 019

6 – Companheiro de inverno

Da série “se rir vai pro inferno”. Mas é só virar o tempo que o nariz entope, e a necessidade do remedinho se torna maior. Por essas e outras que não curto o clima.

img_5957

 

Nota: Queria postar uma foto de Festa Junina, mas não consegui fazer nenhuma legal. Afinal, é essa a melhor parte da estação, melhor festa da vida <3

 

Mas diz aí, qual foto mais gostou? Aceito dicas e críticas construtivas 😉

Um beijo grande no coração!

postagem-coletiva

Trilha sonora da minha vida

Eis que “trilha sonora da minha vida” é o tema da postagem coletiva do mês de Junho do “Projeto Vai um Café?”. Lindo, não?

Quando vi esse tema, logo soltei um “AAWWNT”. Afinal, desde que me entendo por gente, sou movida a música. Toda fase que passei tive uma trilha sonora específica. Por vezes, me senti como em um musical da Broadway (loka!).

Fonte: Pinterest

Vejam só:

Até os 5 anos

Era Xuxa, Balão Mágico e cantigas. Apenas as alegres, nessa fase em que tudo é alegria, não?

5 a 8 anos

Já ficando maiorzinha, ganhei o Meu Primeiro Gradiente, que veio com uma fita k7. Era encantada com Coração de Papelão (Jairzinho e Simony), ficava voltando a fita o tempo todo. Ainda ouvia Xuxa horrores, Eliana e Mara Maravilha. Minha outra preferida, também do Balão Mágico era O Que Cantam as Crianças. Já entendia de algumas coisas da vida e tinha uma sensibilidade enorme.

8 a 10 anos

Quase mocinha, sensível a músicas e poesias, conheci finalmente a MPB. Meus pais sempre ouviam muito Lulu Santos, e acabei pedindo uma fita dele de presente. Minha preferida era Sereia. Minha mãe até me chamava de sereinha por causa dela. Fazia aula de dança e era apaixonada por Total Eclipse of The Heart. Não entendia bulhufas de inglês, (mal sabia que anos depois essa letra faria tanto sentido pra mim), mas os gritinho da Bonnie Tyler me deixavam doida. Passava uma novela chamada Salsa e Merengue, e tocava Maria, do Rick Martin, ouvia essa música até dizer chega. Foi nessa fase que conheci meus amores: Sandy e Jr.

11 a 12 anos

Ooo fase musical. Agora já tinha rádio com CD e ninguém me segurava. Ainda ouvia Xuxa, mas as paqueras já tinham começado (sabe como é, a gente brincava de Barbie, mas era apaixonada pelo menino da sala – bem feio por sinal HAHA). Foi nessa idade que começou Chiquititas, para desespero dos meus pais. Ficava dividida entre danças as músicas e ouvir pensando no boyzinho. Tinha Claudinho e Buchecha, SPC, Kid Abelha e roubava CDs do Tim Maia do meu pai. Nessa época também conheci meus crushes: Backstreet Boys. E a diva Veveta, ainda na Banda Eva, mas minha paixão era Cheiro de Amor (dançava horrooooores). E o Netinho, né (oô MiiiiiilaaaaA).

13 e 14 anos

Romanticazinha chata, ficava ouvindo músicas pensando no menino babaca que gostava. Um pagodinho de leve que nunca comprei CD rs. Muito, mas muuuuito Sandy e Jr. Backstreet Boys, N’Sync, Five, Britney Spears (eca!). Fase chata, confesso, bem chororô, tinha trilha sonora de novela, tipo Laços de Família, com Balada de Amor Inabalável do Skank, Love By Grace, Lara Fabian e -claro!- Man, I feel Like a Woman, mas escondidamente ouvia músicas infantis. As coisas começaram a ficar menos lamentáveis quando esqueci o babaca e conheci Capital Inicial,, não me fazia ficar chorando.

Aliás, contei isso no post comemorativo do dia do rock: Dia de rock, bebê!!

15 a 17 anos

Talvez a melhor fase da vida! Entrei finalmente no rock, cheguei a ouvir umas coisas pesadinhas que não lembro mais quais eram, e que não durou nada, não curti muito. Procurava mais músicas com papo cabeça, que fizessem reflexões sobre a vida. Já com a internet, conheci inúmeras. Ainda amava Boys band e axé, mas era bem mais consumida com o rock. Ouvia Capital, CPM22, conheci o lindo U2, Avril Lavigne, Evanescense, comecei a curtir Los Hermanos (aeee), um pouco de Legião Urbana, Smsh Mouth, REM, Detonautas e outras que não lembro mais. Dizia que tinha nascido na época errada, andava de preto, era a diferentona e tinha uma renca de amigos! Mas tinha Rouge! Amava essas meninas, fui ao show, dançava Ragatanga cazamiga e era feliz! A fase terminou com Cazuza, assim que assistimos ao filme.

18 a 21 anos

A fase chata, metida a intelectual (assumo!). Ouvia Engenheiros do Hawaii, Nenhum de Nós, Biquini Cavadão, Paralamas do Sucesso, Nando Reis e Maria Rita. Achava que era o ser mais inteligente do mundo, crente que estava abafando e esnobava outros gêneros musicais. Tinha grande paixão por essas músicas, ficava analisando cada letra e fazendo altas filosofias. Era feliz, mas hoje vejo que era ridículo. Só que no final das contas estava eu ouvindo High School Musical HAHA! Também gostava de Armandinho, tive a fase reggae, gente!

22 em dia

Já madura, fui parando com as bobeirinhas. Conheci O teatro Mágico e me apaixonei de verdade por Los Hermanos. Acho que trabalhar em escola foi me tirando esse preconceito e, mesmo tendo meu gosto definido (rock leve e MPB) passei a respeitar os demais, ouvir e até curtir. Depois de Porto Seguro parei de graça e se toca um sertanejo universitário eu danço. Assumi minha paixão pelo Axé e o Samba de raiz. Sou apaixonada por música brasileira, e fico horas no YouTube procurando as novidades. Sempre rola umas em posts de Playlist.

Para conhecer as músicas que mais ouvi nos últimos tempos só entrar na categoria Playlist !

Fonte: Pinterest

Mas conte de você, qual a trilha sonora da sua vida? É como eu que sempre tem uma música tocando de fundo que dá vontade de sair dançando e/ou interpretando?